A Cauda Longa

por Alexandre Fugita

[Capa do livro A Cauda Longa]Há cerca de um ano li um artigo chamado The Long Tail que descreve como empresas de internet utilizam o conceito da Cauda Longa para ganhar dinheiro. Entre os exemplos estão: Google, Amazon e iTunes. O artigo se desenvolveu em blog e agora virou o livro A Cauda Longa – do mercado de massa para o mercado de nicho (compre no Submarino), lançado este mês aqui no Brasil.

O que é a Cauda Longa?

A Cauda Longa é um fenômeno observado em empresas de internet que conseguem faturar com produtos de nicho tanto quanto, ou até mais que os tradicionais arrasa-quarteirão. Isso se tornou viável com o advento da internet já que a inexistência de limitação do espaço físico para exibição de produtos faz com que os mercados de nicho sejam explorados da mesma forma que o mercado de massas.

A prateleira infinita

Dizem por aí que a “regra dos 80/20” rege o faturamento das empresas, ou seja, 20% dos produtos representam 80% do faturamento. Se a loja é uma livraria, sabemos que a última aventura do Harry Potter vai vender tanto que representará uma parcela significativa do faturamento. Por este motivo a livraria acaba colocando em suas prateleiras aqueles títulos que têm mais chance de vender. Como o espaço físico de uma loja é limitado e tem um custo, só é possível disponibilizar uma quantidade limitada de títulos diferentes, exatamente aqueles que vendem. Faz sentido? Certamente.

Na internet tudo isso muda. Uma livraria virtual possui prateleiras de tamanho teoricamente infinito, cuja limitação é a quantidade de títulos oferecidos e não o espaço físico. Ao invés de disponibilizar apenas aqueles “xis” mil títulos que são os que mais vendem, é possível ter em catálogo um número muito maior. No livro “A Cauda Longa”, o autor Chris Anderson mostra que uma loja física de uma grande livraria nos EUA possui em média 100 mil títulos diferentes disponíveis. Ao mesmo tempo a loja virtual Amazon.com possui em suas “prateleiras” cerca de 3,7 milhões de livros diferentes. Note que o fato da Amazon possuir o título na “prateleira” não significa necessariamente que ele esteja em estoque.

[o gráfico da Cauda Longa]A grande descoberta veio da análise das quantidades vendidas dos produtos. Um estudo feito com a Amazon mostrou que, por ter uma “prateleira” maior de livros à venda, o faturamento dos livros menos polulares (fora dos 100 mil principais títulos) representava em torno de um quarto da receita. Analisando o gráfico (acima) temos a impressão de que são produtos que não vale a pena vender. Sim, isso é verdade para uma loja física tracional. No varejo da internet descobriu-se o poder da Cauda Longa e da prateleira de tamanho infinito.

O fim da era dos arrasa-quarteirão

Na economia da Cauda Longa, o que faz a diferença é a abundância, ao contrário da escassez que existia até então. Em um mercado que predomina a escassez o que faz sentido é explorar aquilo que vende mais, ou seja, os arrasa-quarteirão, os hits. Nesse novo conceito de negócios (a abundância da Cauda Longa) o não-hit acaba se tornando uma parcela importante do faturamento e concorre diretamente com os poucos e efêmeros sucessos do momento. Saber explorar isso tem feito empresas como o Google ou Amazon crescerem vertiginosamente, tornando-as gigantes da nova era.

A ironia é que um livro que analisa, entre outras, o fim da era dos arrasa-quarteirão acabou virando best-seller internacional.

Na blogosfera:

Comentários do Facebook
71 comentários
  1. […] Não. Pelo menos por enquanto. Os livros ainda exercem papel fundamental no mundo moderno que é guardar informação. O grande problema sempre foi achar informação dentro deles. Mas a economia da Cauda Longa ajuda a manter os livros em alta: lojas virtuais como a Amazon permitem buscar palavras no interior de livros e o Google tem um projeto em andamento para digitalizar e, por conseqüência, facilitar a busca de todos os livros existentes. Aquele livro desconhecido, com a exata informação que você procura, não mais ficará perdido em uma prateleira empoeirada. Mas quando Plutão virar planeta-anão nos livros didáticos, pode ser que essa informação já esteja desatualizada. […]

  2. Citação recebida:
    “A algum tempo atrás li um artigo sobre “A Cauda Longa” , achei um fenômeno fantástico, sempre pensei que seria desta forma, é interessante a descentralização da informação através de blogs, vídeos e podcast.”

  3. […] http://techbits.com.br/2006/a-cauda-longa/ – em portugres!!! […]

  4. […] Com o lançamento do Amazon Unbox entramos finalmente na Cauda Longa dos filmes. Não só sucessos arrasa-quarteirão de Hollywood serão vendidos como também filmes obscuros ou de Bollywood terão sua vez. Vai depender da preferência de cada um. Ningúem mais ficará restrito a assistir apenas os sucessos. Poderá escolher de uma variedade imensa só aquilo que agrada. […]

  5. […] TechBits: artigo de Alexandre Fugita sobre o tema […]

  6. Olá

    Meu nome é Romeo Busarello sou Diretor de Marketing da Tecnisa Engenharia uma empresa muito atuante na Internet. Há 05 meses lançamos um dos o primeiros blog corporativos do Brasil e estamos obtendo resultados surpreendentes.

    Recentemente eu e minha equipe lemos o livro Cauda Longa do Chris Anderson e entendemos que a Tecnisa prática algumas idéias desta nova teoria. Pesquisamos na rede assuntos correlacionados ao tema e lemos um comentário postado no vosso blog que gostamos muito e achamos muito esclarecedor para que não conhece o tema. Parabéns !!!

    Gostaríamos de obter de vocês uma autorização para copiar o gráfico da cauda e algumas partes do texto parta adicionarmos a um comentário que deveremos postar esta semana no Blog da Tecnisa falando sobre a nossa estratégia e de outras empresas brasileira que estão adotando o conceito de Cauda Longa.

    Ficaríamos muito agrdeceido se vocês nos autorizassem.

    Muito Obrigado

    Romeo Busarello
    Diretor Marketing
    [email protected]
    Fone: 3069-9653

  7. Olá Romeo!
    Fico extremamente satisfeito que tenha gostado do texto e do gráfico. Também li o livro (comprei assim que o vi na livraria) e já recomendei pra muita gente.

    Está autorizado! Peço apenas que cite a fonte do gráfico e de trechos do texto (se for o caso), colocando um link para o artigo mencionado.

    Atenciosamente,
    Alexandre Fugita

  8. […] Artigo escrito por Alexandre do Tech Bits Há cerca de um ano li um artigo chamado The Long Tail que descreve como empresas de internet utilizam o conceito da Cauda Longa para ganhar dinheiro. Entre os exemplos estão: Google, Amazon e iTunes. O artigo se desenvolveu em blog e agora virou o livro A Cauda Longa – do mercado de massa para o mercado de nicho (compre no Submarino), lançado este mês aqui no Brasil. […]

  9. YouTube: vale US$ 1,5 bilhão?…

    Se você acabou de cair na Terra e nunca ouviu falar do YouTube, pare de ler imediatamente. O YouTube é um sucesso. Já passaram por lá Vanucci, Ronaldinho, a novela Páginas da Vida e mais recentemente Cicarelli. O grande problema que muitos apontam…

  10. 10. Citação de Techbits em 3 out 2006 - 02:41

    Estatísticas do Techbits…

    Domingo e segunda-feira foram dominados pelos resultados do primeiro turno das eleições. Ou seja, todos estão craques em porcentagens e estatísticas. Por isso resolvi contribuir e divulgar as estatísticas do mês de Setembro do Techbits. Eu sei qu…

  11. 11. Citação de Techbits em 3 out 2006 - 04:07

    Esqueça o outsourcing. O negócio agora é o crowdsourcing…

    Claro, estou exagerando. Há alguns meses um artigo na revista Wired chamado The Rise of Crowdsourcing mostrou como a multidão pode ajudar organizações a completar tarefas e diminuir custos. O crowdsourcing é o “novo lugar da mão-de-obra bar…

  12. […] A Cauda Longa (de Chris Anderson, editor da Wired) é um vislumbre da potência das transformações econômicas que testemunhamos: cai o absolutismo dos blockbusters (e os sucessos de proporção titânica), sobem ao poder os nichos de mercado (e uma proporção titânica de sucessos). Enfim, lugar-comum dizer que se trata de leitura fundamental. Neste novo cenário, a palavra de ordem é recomendação. O poder está no seu vizinho, nos seus colegas de trabalho, no seu instrutor de Pilates, enfim – naquele que conhece o que pouquíssima gente conhece e que é definitivamente bom. […]

  13. 13. Citação de Techbits em 4 out 2006 - 14:53

    O LOST e o novo paradigma da distribuição de conteúdo…

    Hoje estréia nos EUA a terceira temporada da série Lost. O que isso tem a ver com tecnologia? Fora o fato de todos os geeks assistirem, a pergunta é: como esses geeks vão assistir se a temporada, como já disse, estréia nos EUA e não no Brasil&#8…

  14. 14. Citação de Techbits em 23 nov 2006 - 13:51

    Submarino e Americanas: a gigante com e-commerce…

    A Americanas.com surgiu como a operação virtual de uma loja conhecida no mundo real, com lojas físicas e tudo mais. O Submarino já nasceu virtual. Tudo isso em 1999, época da primeira grande onda da internet. Enfrentaram o estouro da bolha em 2000…

  15. 15. Citação de Techbits em 1 jan 2007 - 22:21

    Que o ano de 2007 seja fantástico para a blogosfera brasileira…

    Olá, Feliz 2007! Não preparei um post automático para aparecer nos primeiros minutos de 2007. E também faz tempo que não escrevo… quase que não lembro mais como se posta algo no WordPress, hehehe! Mas foi uma pausa de final de ano para come…

  16. 16. Citação de Techbits em 9 jan 2007 - 03:25

    Esqueça o YouTube, vamos de Metacafe…

    O YouTube já era. Brasil Telecom, Telefonica, Embratel, todo mundo foi intimado a bloquear o site que faz parte do novo paradigma da distribuição de conteúdo. Talvez neste exato momento o embargo CicaTube esteja em pleno vigor e o YouTube simplesme…

  17. 17. Citação de Techbits em 10 jan 2007 - 19:30

    TV e YouTube: diametralmente opostos…

    Os últimos dias foram agitados e o assunto do momento foi o YouTube e aquela modelo que estragou sua imagem completamente. Mas quais os motivos para YouTube fazer tanto sucesso? Rede social? Vídeos engraçados? Tapa na Pantera? Não, nada disso. A ra…

  18. […] as resenhas e artigos de alguns ótimos blogs brasileiros, formadores de opinião, como o Techbis, Meiobit, Cesar Cardoso, Cris Dias e SEO Black […]

  19. Olá Alexandre. Antes de compar o livro, em dezembro, visitei alguns sites para ter algumas referências. Este post foi um dos melhores que encontrei. Parabéns. Já li o livro, e achei muito interessantes as observações do Chris Anderson. Na minha breve resenha citei este post como referência. Abraço.

  20. Olá Mateus!

    Legal que este post é um dos melhores que vc encontrou. Agradeço, hehehe! Sim, o livro é muito bom, vale a pena, acho até que é leitura obrigatória, hehehe!

    obs: agradeço o link!

    Abraços!

  21. […] do que um programa gigante e pesado oferece”. E aí entra novamente aquela velha história da Cauda Longa: oferecer serviços baseados na web, sem caixinhas e sem downloads, para nichos do mercado que não […]

  22. […] 10 % melhor no quesito sugestão de filmes do que o sistema atual deles. Já que exploram a Cauda Longa dos filmes, querem que as sugestões atinjam de forma mais certeira os gostos pessoais de cada um. […]

  23. É interessante o número de referências do próprio Techbits à este artigo!

    Eu mesmo não tenho muito saco de linkar meus próprios artigos ;P

    Muito bom o artigo

  24. Opa Lucas!

    Pois é, eu costumo linkar meus próprios textos! Principalmente este que acho de extrema importância para negócios baseados na web hoje em dia.

    Falou!

  25. 25. Citação de Techbits em 9 mar 2007 - 10:57

    Web 3.0 = 4C + P + PV…

    Já estou ouvindo as pedradas, mas vamos lá. O termo web 2.0 não é o que podemos chamar de unanimidade na blogosfera, imagine então começarmos a falar de web 3.0. E primeira vidraça foi quebrada. O ótimo Read/ Write Web publicou no mês passado…

  26. 26. Sarah disse em 12 abr 2007 - 10:24

    “ÉPOCA – Sua teoria prega o crescimento dos nichos. Mais produtos, mais escolhas, para grupos menores de consumidores. Os hits estão com os dias contados?

    Chris Anderson -Algumas pessoas que analisaram a teoria disseram que seria o fim dos hits, mas elas se enganaram. O livro não diz isso. O que digo é que o monopólio dos hits está comprometido. No século 20 havia os hits ou nada, no século 21 teremos os hits e os nichos. Os hits irão competir com milhares de produtos de nicho, mas sempre teremos hits. A conseqüência é que os mercados serão mais diversificados e cada vez menos concentrados.”

  27. Olá Sarah!

    Agradeço o trecho da revista Época. Li a matéria também, mas acho que escrevi antes deles.

  28. A Internet e os Quadrinhos Independentes…

    ?As editoras sempre contam a triste história do monopólio da distribuição. Acham que são donas do mundo por dominarem esta distribuição. Pagam mal ao autor, são atravessadores mesmo. Com a Internet, isto acabou. Se você tem capacidade de se….

  29. A cauda longa tem um ponto importante… se por um lado abre-se oportunidades para um mercado quase que infinitamente fragmentado, por outro lado, isso só é possível porque existem mega porteiras como Google e Amazon.

  30. In Hsieh,

    Exato. É necessário um player de alcance global que não tenha altos custos para atingir milhões de pessoas e ganhar pouco de cada uma delas.

  31. […] A Cauda Longa (Techbits) […]

  32. […] Resenha do livro no Techbits Podcast do Brainstorm#9 Blog oficial do livro […]

  33. […] O que é a Cauda Longa? […]

  34. […] Orkut, e isso nos torna um atrativo para sites de compartilhamento como o MySpace.com, visto que a Cauda Longa pode ser o princípio pela busca muitos acessos, e que o Brasil é o nicho […]

  35. Gostei muito de conhecer esse tipo de marketing, trabalho com informaticaa a 8 anos e particularmente não conhecia essa ferramenta fenomenal de marketing viral.
    Apesar de ainda não ter lido o livro, irei a procura dele para ter mais conhecimento sobre o assunto.

    Infelizmente ainda há pessoas que não acreditam muito nesse tipo de divulgação (entre eles meu sócio), mas estou brigando para convence-lo de que é diferente. Essa reportagem só me animou a continuar insistindo.

    Obrigado!

  36. JL Junior,

    Pode apostar, a cauda longa é uma das teorias mais interessantes para o mundo dos negócios on-line. É só ver quem a utiliza para entender como ase faz uma empresa de sucesso: Google, Amazon, etc…

    Abraços!

  37. […] acho que ele não leu a Cauda Longa. Peraí… 8 milhões jogados fora e somente 2 aproveitados? Peraí… Claro, já entendi. Ele […]

  38. […] é novidade para nós, mas foi para muito empresário e executivo presente no evento. O poder da Cauda Longa foi citado algumas vezes e todos perceberam – embora alguns relutem em aceitar – que menos é mais, […]

  39. […] idéias, sirvo mais como um guia e não aquele que detém a última palavra. Falou de uma frase do Chris Anderson, autor do ótimo A Cauda Longa: “eu faço o que os estagiários me mandam”. Citou o crowdsourcing como parte fundamental da […]

  40. […] para o público? Tenho toda a certeza que os milhares de afiliados dos seus sistemas – aqueles que geram a receita pequena da cauda longa, ou seja, igualmente importantes para o seu negócio – tratarão de otimizar a relevância dos […]

  41. […] obstáculo. Principalmente porque permite ao quadrinistas independente por em prática a teoria da Cauda Longa, como bem explica o Leonardo Santana em uma de suas coluna no Bigorna. Ou seja, venda pela Internet […]

  42. 42. Citação de Yeah! em 21 jan 2008 - 11:26

    […] as grandes emissoras determinando o que as pessoas v?o ver e em qual hor?rio. Mercado de nichos? Cauda longa? N?o, n?o vai ser dessa […]

  43. […] próprio funcionamento do mercado cultural hoje em dia, que está apoiado na teoria econômica da Cauda Longa. O termo Cauda Longa foi criado em 2004 por Chris Anderson, editor-chefe da revista Wired, e se […]

  44. […] exceções, não são exatamente de mercados de nicho. Para atacar nichos, deve-se escolher uma cauda longa o suficiente para se ter alguma escala. Criar uma comunidade para “pescadores do mar […]

  45. […] Sociale é diferente. Tem um modelo cauda longa de negócios no melhor estilo da web 2.0. Através dela, empresas de todos os tipos e tamanhos […]

  46. […] lendo ´´A Cauda Longa´´. E o que me chamou a atenção dessa vez foi o fato de Chris Anderson ter usado como ferramenta de […]

  47. […] Anderson, autor de A Cauda Longa e editor chefe da Wired, estará em São Paulo durante o Fórum Mundial de Marketing e Vendas, que […]

  48. […] novidade para nós, mas foi para muitos empresários e executivos presentes no evento. O poder da Cauda Longa foi citado algumas vezes e todos perceberam – embora alguns relutem em aceitar – que menos é mais, […]

  49. […] tempos de cauda longa, falar em top qualquer coisa na web é contar apenas um pedaço da história. É possível tirar […]

  50. […] se tornando uma parcela importante do faturamento e concorre diretamente com os poucos e efêmeros sucessos do momento. Saber explorar isso tem feito empresas como o Google ou Amazon crescerem […]

  51. […] o autor Chris Anderson vem fazendo grande sucesso primeiro com a teoria da Cauda Longa onde diz que no mundo os “blobkbusters”, os produtos em massa estão dando lugar para […]

  52. […] cauda deve ser longa mesmo, caso contrário, “terá cabeça de bulldog, corpo de piquenes e uma cauda […]

  53. […] cauda longa […]

  54. […] mundo que leu o livro da cauda longa lembra que explorar os mercados de nicho muitas vezes dá resultados tão bons quanto explorar os […]

  55. […] A Cauda Longa – Techbits (tags: livros) […]

  56. […] Wagner Moura do Boombust e diretor de mídias sociais da agência Riot, afirma “Em tempos de cauda longa, falar em top qualquer coisa na web é contar apenas um pedaço da história. É possível tirar […]

  57. […] who’s read the book about the long tail remembers that niche market items often give results as good as top sellers. This explanation was […]

  58. […] ao próprio funcionamento do mercado cultural hoje em dia que está apoiado na teoria econômica da Cauda Longa. O termo Cauda Longa foi criado em 2004 por Chris Anderson, editor-chefe da revista Wired, e se […]

  59. […] Anderson – Autor do best-seller A Cauda Longa: que descreve como empresas de internet utilizam o conceito da Cauda Longa para ganhar dinheiro. Entre os exemplos estão: […]

  60. […] a cauda longa sendo bem aplicadinha. A marca soube como poucas pulverizar seus serviços em mil e uma […]

  61. […] A Cauda Longa […]

  62. […] todos sabemos a importância do long tail, mas para quem não sabe o que é long tail pode ver aqui. Sabemos que há um grande número de pesquisas, muitas delas completamente únicas. Avinash […]

  63. […] – http://techbits.com.br/2006/a-cauda-longa/ […]

  64. […] O diretor do e-commerce do Walmart traçou suas estratégias de marketing trabalhando o conceito de cauda longa, ou seja, “fenômeno observado em empresas de internet que conseguem faturar com produtos de nicho tanto quanto, ou até mais que os tradicionais arrasa-quarteirão” (techbits). […]

  65. […] no “mundo ideal” acima está longe de acontecer, mas é possível. E nesses tempos de cauda longa (sempre quis usar essa frase), é algo cada vez mais próximo da realidade. Clique para acessar a […]

  66. Comecei a ler o livro e estou muito animado pelo conhecimento adquirido. Tem me ajudado bastante me meu blog pessoal e em novas idéias que estão surgindo. O livro mostra a exploração de novos mercados com produtos de nicho tanto quanto, ou até mais que os tradicionais arrasa-quarteirão. Parabéns pelo conteúdo do blog, muito bom!

  67. Esse livro foi muito importante para mim, ensinou coisas que até hoje são essenciais no meu trabalho, parabéns pelo post ficou muito interessante.

  68. […] cerca de um ano li um artigo chamado The Long Tail  que descreve como empresas de internet utilizam o conceito da Cauda Longa para ganhar dinheiro. Entre os exemplos estão: Google, Amazon […]

  69. […] de temas repetitivos. A lógica do ‘best-seller’ segue o tradicional estudo sobre a ‘cauda longa’ que, com as novas tecnologias gerando progressivas reduções de custos e facilitação de acesso a […]

  70. […] 10 % melhor no quesito sugestão de filmes do que o sistema atual deles. Já que exploram a Cauda Longa dos filmes, querem que as sugestões atinjam de forma mais certeira os gostos pessoais de cada um. […]

  71. […] de temas repetitivos. A lógica do ‘best-seller’ segue o tradicional estudo sobre a ‘cauda longa’ que, com as novas tecnologias gerando progressivas reduções de custos e facilitação de acesso a […]

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email