TV e YouTube: diametralmente opostos

por Alexandre Fugita

[YouTube] Os últimos dias foram agitados e o assunto do momento foi o YouTube e aquela modelo que estragou sua imagem completamente. Mas quais os motivos para YouTube fazer tanto sucesso? Rede social? Vídeos engraçados? Tapa na Pantera? Não, nada disso. A razão do sucesso é que o YouTube é diametralmente oposto ao que chamamos de TV convencional. A única semelhança é que ambos passam vídeos. Fora isso, há uma explicação para o sucesso deste site de vídeos: a Cauda Longa.

Como funciona a TV convencional?

Horários fixos na grade de programação. Programas e assuntos definidos pelo editor. Falta de disponibilidade do telespectador. O primeiro problema pode ser resolvido com aparelhos de gravação (DVD e DVR… tem um tal de VHS, mas alguém se lembra o que é isto?). O segundo problema é menor na TV a cabo, mas ainda assim conta com variedade pequena. O terceiro só pode ser resolvido se o telespectador puder controlar quando quer ver um programa. Concluindo, a TV convencional restringe por horários fixos, variedade de programação e disponibilidade de tempo do telespectador.

E como funciona o YouTube?

É exatamente o inverso da TV convencional. Não há restrições de disponibilidade de tempo (você assiste quando quer) e, em relação à variedade, praticamente encontra-se de tudo, exceto coisas proibidas pelos termos de uso. Ficamos livres para escolher o conteúdo que queremos, na hora que desejarmos.

Dito tudo isso, chegamos à conclusão que o YouTube é a Cauda Longa dos vídeos. Variedade quase infinita (leia os problemas das escolhas ilimitadas no blog da Lulileslie) e nichos com assuntos muito específicos. Também há a possibilidade de busca do conteúdo através de tags (folksonomia), e mais recentemente busca dentro dos vídeos pela linguagem falada. E na TV convencional, nada disso é possível. Só assistir como o Homer faz, e nada mais. Não é à toa que o YouTube faça tanto sucesso e já substitui a TV convencional em certas faixas etárias.

The Venice Project

Bom, o suprassumo da distribuição de conteúdo será o The Venice Project (info aqui). Trata-se de uma startup criada pelos fundadores do Skype (lembrem, eles venderam o Skype para o e-Bay por cerca de US$ 2 Bi) que vai revolucionar o vídeo. Com lançamento oficial previsto para ainda este ano, será algo estrondoso, que mudará os fundamentos da indústria de entretenimento. Baseia-se em P2P para distribuir conteúdo de forma rápida e legalizada. Aqui no Techbits recebi um convite para ser beta-tester. Agradeço ao José Moreno do Tese e Antítese pelo convite. Farei os devidos testes e em breve escrevo sobre minhas impressões. Enquanto isso, esqueçam o Metacafe, voltemos ao YouTube.

Comentários do Facebook
17 comentários
  1. Vale a pena lembrar que vários projetos estão nascendo prometendo acabar com a TV. Os próprios fundadores do Digg fundaram o Revision3, uma série de programas para serem exibidos pela internet, incluindo o DiggNation

    http://www.revision3.com/

  2. Renato,
    É verdade. A TV vai se transformar em outra coisa, fundir com outra tecnologia. Eu conheço o Rev3, mas, apesar de fazer parte da nova TV (cauda longa, essas coisas), não arranjo tempo de acompanhar, hehe!

    Falou!

  3. Deve sim morrer a TV como a conhecemos. Broadcast, unidirecional. Vale lembrar que a TV Digital trará um novo folego à velha TV.

    O Televisor com a famosa tela grande, principalmente LDC, impulsionado por set top boxes, como a AppleTV, irá continuar, disputando espaço com projetores cada vez mais eficientes. Cada vez mais televisao e televisor serão coisas distintas.

  4. 4. Neto disse em 10 jan 2007 - 22:01

    O motivo de tanto sucesso de sites como o Digg e o Del.icio.us é justamente essa possibilidade do usuário e leitor fazer tudo como quer e quando quer (guardadas as devidas proporções, claro!).
    Essa acessibilidade dita as regras na web 2.0 .
    E como as TVs convencionais (o que é isso mesmo? rs) não inovam. O seu fim está próximo.
    A tecnologia avança de tal forma que desencadeará grandes mudanças. E isso é muito bom. É progresso.

    Quanto ao Venice Project… Ele é ótimo! hehe
    Testei a versão beta e gostei muito.
    Vou esperar para ver o seu review. Você está mais preparado do que eu para escrever sobre ele.
    Só acrescento que para o teste prepare um hardware parrudo meu amigo!
    A definição das imagens fica bem melhor ;-)

    Abraços

  5. Olá Carlos!

    Sim, concordo que a TV, do jeito que a conhecemos irá morrer (puz, já tô vendo o Solon aqui dizendo que a gente está exagerando… hehehe!). Mas o entretenimento que ela proporciona continuará existir e virá por outras formas. Pode ser TV digital, pode ser Venice Project ou ainda outra coisa que ninguém imaginou ainda e irá revolucionar tudo. Vai saber…

  6. Olá Neto!

    Pois é, por isso a revista Time nomeou Você como personalidade do ano. A TV convencional terá que se adaptar aos novos tempos. Eu espero para os próximos anos revoluções inimagináveis nesta área.

    Qto ao Venice Project, ainda não comecei os testes. Ouvi dizer que a interface não é lá essas coisas mas o conceito é genial. Espero que o hardware aqui agüente o tranco, hehehe!

    Falou!

  7. […] Pois bem, o The Venice Projet é um software(ou programa, como preferir) que veio para revolucionar a internet, ele exibe canais de TV online do mundo inteiro e é totalmente grátis, contudo ele está em fase beta fechada(fase de teste), ou seja, apenas quem tem convite pode fazer o download do programa e testar. Contudo ontem eu tive a felicidade de receber um convite do José Moreno do Tese & Antítese, que deu 2 convites – o outro “sortudo” foi o Alexandre Fugita. Muito obrigado José! […]

  8. Moderação: 7 comentários postados pela mesma pessoa entre 23:05 e 23:13 do dia 28/01/2007 (hora de Brasília, horário de verão) foram juntados em um só devido à pouca ou nenhuma relevância com o tema discutido. Conteúdo foi editado pois continha informações como telefones e endereços. Dados do acesso foram armazenados caso as informações destes comentários causem problemas legais para este site.

    23:05 – ok

    23:06 – eu gosto muito da tv brasileira

    23:07 – oi alexandre tudo bem como vai vc 10 de janeiro

  9. Joost: revolução na TV?…

    Lembro-me que antigamente vídeos pela internet eram terrivelmente ruins. Aquelas imagens em movimento com resolução 50 x 30 pixels não ajudavam em nada. Os tempos mudaram e veio o YouTube. Felizmente a tecnologia não pára e recentemente surgiu o …

  10. 10. Citação de Techbits em 12 fev 2007 - 12:37

    E o Oscar vai para……

    Daqui duas semanas ocorre a cerimônia de entrega do Oscar. Creio que pouca gente consegue assistir a todos os filmes concorrentes antes da entrega do prêmio, nem o mais cinéfilo dos cinéfilos. Há vários fatores limitantes e o maior deles é a dis…

  11. 11. Citação de Techbits em 24 mar 2007 - 14:40

    Clown co.: o YouTube killer…

    Ontem as redes de TV americanas Fox e NBC anunciaram a criação, para este ano, de mais um YouTube killer. Mas segundo o TechCrunch, há um pequeno problema: o serviço não tem nome e a piada interna dentro do GooTube chama essa associação de Clown…

  12. Para complicar mais essa enquanto a abril vai lançar seu site já está no ar o Canal8.com.br , que se posiciona como uma TV e disponibiliza programas para todos os internautas.

  13. Emmanuel,

    A concorrência sempre é bem vinda!

  14. Metal detector bounty hunter time ranger

  15. Nude beach sex

  16. […] eu já dizia que o YouTube é diametralmente oposto à TV , agora vou trocar e dizer que o TiVi é diametralmente oposto à […]

  17. […] isso é bastante claro. Hoje é muito mais prático poder assistir seus vídeos na web na hora que quiser escolhendo sua programação. Dados recentes mostram que cerca de 20 horas de vídeos são postados no YouTube por minuto, por […]

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email