Podzinger: a busca que faltava ao YouTube

por Alexandre Fugita

[Podzinger Tube]Um dos serviços web mais impressionantes voltados para os podcasts é o Podzinger. A busca por textos é relativamente simples. Vá ao Google e comprove. Pesquisar imagens, vídeos ou áudio é um pouco mais complicado. O advento das tags facilitou esse trabalho, mas é longe do ideal. O que o Podzinger faz é traduzir a linguagem falada para a linguagem escrita. Transforma podcasts (audio) em textos, tudo automático. Tecnologia de ponta. Agora adicionaram o YouTube à sua base de dados. Se funcionar a contendo, é simplesmente impressionante.

Hack para funcionar no Brasil

Tentei usar o Podzinger mas é necessário um hack para a busca no YouTube funcionar no Brasil. Por algum bug interno, se o sistema detecta que o navegador é em português, não acha nada. Faça o seguinte:

  1. Entre no Podzinger e faça uma pesquisa na aba YouTube. O resultado será uma página de erro;
  2. Altere a última parte da URL de: &il=pt&col=pt-all-youtube-ep para &il=en&col=en-all-youtube-ep
  3. Pronto! O que fizemos foi “enganar” o Podzinger dizendo que nosso navegador é em inglês, trocando o pt por en;
  4. O resultado da pesquisa por “series of tubes” – homenagem à justiça brasileira que não sabe o que é internet e quer fechar o YouTube – pode ser visto no screenshot abaixo:

[Podzinger Series of Tubes]

A Busca como o centro da web

Uma das coisas mais importantes da web é, sem dúvida alguma, a busca. Antes tínhamos prateleiras empoeiradas com os livros, os vídeos, as músicas. Hoje existe a busca e tudo está ao alcance de algumas tecladas. A busca pela linguagem falada é complexa. Não é a mesma coisa que indexar simples textos. O Podzinger existe para mudar tudo isso. Apostaria até que deve ser adquirida por alguma gigante da internet em breve.

Já fiz muitas buscas no Podzinger. Ouço vários podcasts, ou seja, muita informação. Como escrevo um blog sobre tecnologia às vezes lembro que ouvi tal coisa no podcast Security Now!, por exemplo. Mas não lembro o episódio. Podzinger nele! Só torço para a Cicarelli não querer fechar o Podzinger também por causa de uns gemidos perdidos transcritos…

Comentários do Facebook
9 comentários
  1. 1. Helton disse em 5 jan 2007 - 12:00

    Alexandre, preciso falar com vc. É um pouco urgente.
    Desculpe usar esse espaço para te contatá-lo. Te mandei um emial tbm.

    abs!!

  2. Também acho a ferramenta do Podzinger muito boa, embora apenas em inglês. Mas não sabia que estava indexando vídeos do YouTube. Muito legla a notícia e a idéia

  3. Olá Renato!

    Sim, o Podzinger é muito interessante. Agora com a busca no YouTube ficou indispensável. Só quero que corrijam logo esse bug que evita pesquisa em navegadores com língua diferente do inglês.

  4. Olá pessoal,

    Não conheço muito sobre o Podzinger, mas achei essa idéia excelente. A ferramenta funciona direitinho? Deve ser um programa muito bom para conseguir transformar a fala em texto com o mínimo de erro possível. Muito legal!

  5. Não conhecia o Podzinger. Passei a conhecer agora e achei bacana, mas pouco produtivo para quem não sabe inglês.

    Mas, a idéia é excelente.

    Como será que estes softwares de reconhecimento de voz funcionam, hein ? deve ser bem complexo!

  6. Olá Victor!

    Realmente deve ser um software muito bom. Já fui olhar e comparar e a trascrição é quase perfeita! Vou pesquisar mais sobre esse super computador.

  7. Fala Rafael!

    Bom, o Podzinger é revolucionário imagino. Agora com a integração ao YouTube vai ficar famoso. Sim, acho que só funciona em inglês. Vou pesquisar sobre esse negócio de como reconhece tão bem a voz humana.

  8. TV e YouTube: diametralmente opostos…

    Os últimos dias foram agitados e o assunto do momento foi o YouTube e aquela modelo que estragou sua imagem completamente. Mas quais os motivos para YouTube fazer tanto sucesso? Rede social? Vídeos engraçados? Tapa na Pantera? Não, nada disso. A ra…

  9. […] como o Tunatic (reconhecimento de música) ou o Podzine (reconhecimento de voz em áudio e vídeo) surgiram, mas acabaram não despontando na rede. Alguém […]

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email