Cadê as APIs das lojas virtuais brasileiras?

por Alexandre Fugita

[Cadê as API's?] Ontem o Marco Gomes do boo-box fez o lançamento da integração de sua ferramenta com as lojas virtuais Submarino e Americanas. Interessante. Para quem não sabe o boo-box é uma ferramenta de marketing contextual no qual links em texto ou imagens levam o usuário à escolha de produtos relacionados ao tema do post que está lendo. Aproveitei a oportunidade de lançamento para perguntar ao Marco sobre o funcionamento do sistema e descobri algo que gerou assunto para este post.

Ah, veja o vídeo lançamento da integração abaixo, publicado no YouTube, pelo Richard Barros, que aconteceu no BarCamp Rio:

[youtube 44cmRrJ14VA]

Nada de APIs

No mundo web 2.0, dos mashups, da colaboração e das redes sociais, serviços bem sucedidos na web costumam oferecer APIs para integração de seus dados na nuvem da internet. Uma API permite, por exemplo, um serviço a consultar a base de dados de produtos e preços de uma loja virtual, misturá-lo com outras informações da web e fornecer uma experiência diferente ao usuário. Então o boo-box está usando as APIs da Submaricanas? Não, o pessoal da boo-box criou sua própria camada, uma espécie de API das duas lojas virtuais.

API aberta

Não tenho certeza, mas o Edney, do Interney Blogs, também desenvolveu sua própria ferramenta de extração de informações de outra loja virtual, o Mercado Livre. Ambos, o Marco e o Edney, criaram isso para melhorar a relevância dos anúncios a serem exibidos. O interessante é que o boo-box fornece essa API de forma aberta para o público!

Caras lojas virtuais, que tal seguir a tendência do mercado mundial de e-commerce (veja a Amazon, por exemplo) e criar APIs abertas para o público? Tenho toda a certeza que os milhares de afiliados dos seus sistemas – aqueles que geram a receita pequena da cauda longa, ou seja, igualmente importantes para o seu negócio – tratarão de otimizar a relevância dos anúncios de seus blogs e sites e o resultado serão mais vendas. Todo mundo ficará feliz.

Comentários do Facebook
12 comentários
  1. É importante que essas empresas passem a oferecer as próprias APIs, ao invés de nos deixar com as famosas gambiarras. Há demanda, e vamos acabar dando um jeito de resolver isso. O Marco Gomes já deu jeito no Submarino/Americanas.

  2. o Edney usa a API do Mercado Livre. Ele falou aqui: http://www.interney.net/?p=9760655

  3. Thássius,

    Sim, exato! Fico pensando… será que elas acham que vender mais por meio dos afiliados vai gerar um gasto maior de comissão? É como dizer para o vendedor via telemarketing para economizar em telefone…

    alberto,

    Legal, o ML tem API! Tinha lido o texto do Edney, mas não lembrava dessa passagem em específico. Valeu!

    Abraços a vcs!

  4. É por essas e outras que parei faz tempo com os grandões da internet brasileira.

  5. Opa, Valeu pelos links e pelo post.

    Realmente tivemos um trabalhão para conseguir gerar uma “API própria” para os dois maiores e-commerces nacionais… Dá-lhe sistema de cache super-poderoso feito pela equipe boo-box. Parabéns para @wendely e @mauricio \o/

    Quem quiser saber mais sobre a API:
    http://www.boo-box.com/blog/br/2007/agora-temos-api/

  6. […] O Richard Barros filmou toda a apresentação veja no YouTube, o Sérgio Lima fez um video com o início, o Fugita, do TechBits, fez um post especificamente sobre a API para lojas que não têm API ofical. […]

  7. Essa coisa dos grandes sites brasileiros não terem APIs me lembra muito um artigo que li “Por que o Brasil é ruim em inovação?”
    http://epocanegocios.globo.com/Revista/Epocanegocios/0,,EDG79418-8374-8,00.html

    Engraçado que não estamos falando de sites recém-lançados, estamos falando de gente que gera muita grana.

    Acho que ainda o empresariado brasileiro tem medo da Internet (mesmo aqueles que fazem e-business), medo da concorrência talvez? Ou dos blogueiros… hahaha

  8. Cadê as APIs das lojas virtuais brasileiras? – Techbits…

    Sugestão para que as lojas virtuais forneçam APIs abertas aos seus afiliados…

  9. Existem ainda detalhes importante. Ainda mais pra nós, que temos que lidar diretamente com APIs…

    Algumas delas (a maioria) é complicada e burra.
    Ok. Já é um grande passo ter uma API.
    Mas retornar resultados aleatórios e criar problemas que têm que ser resolvidos pelo desenvolvedor…

    Por isso é interessante o modelo simples e direto adotado na boo-box e, provavelmente o que o Interney faz também. Simples, direto e que funciona :)

    Novamente falando sobre o que importa, Fugita :)

    Abraço.

  10. BarCamp Rio 2007: Resumo das Atividades…

    Aconteceu no domingo passado o primeiro BarCamp Rio, no auditório do RDC na PUC-Rio, organizado por mim, com apoio da Ideiasnet e suas empresas iMusica, Coolnex Cards, Bolsa de Mulher e NetMovies, além do Vilago e do BlogBlogs, as……

  11. […] da EMBRAPA e para o Marco Gomes da boo-box que saiu no IDG Now. O Coolest gadgte está contratando. Cadê as APIs das lojas virtuais brasileiras? e Novos blogs na área – Techbits Serviço de ajuda a micro e pequenas empresas – novo-MUNDO […]

  12. Cesar,

    Eu ainda compro neles, pela facilidade. Mas é tudo a mesma empresa… isso dá medo.

    Marco,

    Que é isso! Assunto pertinente (cadê as APIs?) vai direto pro Techbits, não tenha dúvidas. Parabéns ao pessoal da boo-box!

    José,

    Acho que a Submaricanas tem medo de aumentar as vendas via afiliados e por conseqüência ter que pagar mais comissão…

    Wendely,

    Bom, taí o depoimento de um dos caras que fez a API do boo-box para a Subericanas.

    Abraços a todos!

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email