Os dois lados da moeda

por Alexandre Fugita

moedasCertamente o tuíter será rei de muitos textos do dia de hoje. Tudo por causa de um apagão de quase 4 horas (no meu caso) que o sistema elétrico brasileiro enfrentou no final da noite de ontem e início da madrugada de hoje.

Mas não é bem assim, diria a Marion Strecker, diretora de conteúdo do UOL. Nos portais de notícias houve apuração, entrevistas. Jornalistas foram a coletivas de imprensa para saber o que estava acontecendo. Mas não é bem assim, diria algum tuiteiro mais exaltado. Então como é que é?

Recentemente fiz um post sobre “O valor da informação“. Nele falo que a notícia, o registro simples e puro de um fato, está virando commodity. Mas também falo que se a notícia for uma informação em tempo real ela deixa de ser commodity. A cobertura jornalística feita pelos portais da internet, rádios e redes de TV tentaram ser o mais rápidos possível na divulgação de informações. Ótimo! Esse trabalho de apuração é importantíssimo e não será substituído.

O que acontece é que o Twitter realmente é ótimo para sabermos o que está acontecendo em tempo real. A característica caótica das mensagens postadas é suficiente para sabermos o que se passa em vários lugares diferentes. Em menos de 2 minutos percebi que a falta de luz não era do meu bairro, nem da minha cidade, mas muito mais ampla do que isso.

Já as notícias da grande mídia foram importantíssimas para suprir a minha timeline do Twitter com informações postadas por pessoas de todo o Brasil sobre o que de fato havia acontecido de acordo com informações de fontes confiáveis. E tudo trabalhou em conjunto para que meu vício por informação fosse suprido.

3G

E se não fosse o 3G e as torres de celular nada disso seria possível. Milhares de pessoas ficaram ligadas nas notícias através de suas conexões 3G dos celulares oumodens para notebook. As torres de celular aguentaram bem o apagão e, pelo menos no meu caso, permitiram navegar na internet, checar o Twitter e sites de notícias. Vitória da tecnologia.

Essa tal da internets…

por Alexandre Fugita

series-of-tubesA internets mudou a forma como a informação é distribuída. Os custos caíram a quase zero. Qualquer um pode ter um blog, twitter e, portanto, voz na multidão. Parece óbvio, ou melhor, é óbvio afirmar tudo isso que disse até agora. Mas nem todos perceberam essacaracterística da internet.

Lá no período feudal a distribuição de informações era complicada e cara. A igreja católica era uma das poucas instituições que tinha ocacife para bancar pessoas a publicarem conteúdo. Livros e todo o tipo de informação era registrada manualmente por escribas especializadíssimos. O mesmo ocorria em outras culturas como no Egito e outros lugares do planeta.

Daí veio o Gutenberg. Ele pegou várias tecnologias que existiam em sua época e juntou em um invento que chamou de tipo móvel. Revolução! A partir deste ponto a distribuição da informação nunca mais foi a mesma.

A igreja perdeu seu monopólio pois o tipo móvel permitiu a muito mais gente bancar a distribuição de informações. Essa tecnologia fez surgir editoras de livros, jornais impressos e barateou em muito a distribuição.

Alguns séculos se passaram e o Vint Cerf inventou a internets. Revolução de novo! Esse novo meio aberto permitiu uma série de coisas. Distribuir informação ficou mais barato de novo. Muito barato. Tão barato que permite a qualquer um divulgar suas ideias, textos, fotos, vídeos, etc. E essa é a revolução que hoje chamamos de mídias sociais.

Daí aparecem aqueles que não sabem que agora todo mundo tem voz na multidão. Vide o caso Uniban, impossível abafar um caso desses em tempos de youtube, twitter, blogs. E foi o que aconteceu.

obs: imagem deste post Series of Tubes, referência à declaração de um senador americano que virou piada nas rodinhas de internets, retirada deste blog.

Leitura recomendada:

InterCon 2009: sorteio de convites e destaques do evento

por Alexandre Fugita

intercon2009O iMasters InterCon é um evento sempre em mutação. A cada ano novos formatos são testados o que sempre garante a diversão. Em 2007 o evento contou com blogueiros convidados no palco, tuitando e blogando em tempo real. Em 2008 o InterCon teve palestras simultâneas no mesmo palco o que foi uma representação clássica da economia da atenção que sempre vemos na interwebs. E em 2009 um livro será criado colaborativamente durante o evento, editado e lançado no final do dia, já impresso!

Outra coisa interessante do InterCon deste ano é a lista aberta de inscritos. Desta forma fica mais interessante saber de ante mão quem estará lá e preparar o discurso e os cartões de visitas para o sempre importante networking.

O Techbits, claro, estará lá mais uma vez e vai sortear DOIS convites para o InterCon 2009. Mas antes, vou falar de alguns destaques das seis áreas do evento deste ano. A programação completa está aqui.

Novo Olhar Digital (Ambiente Business)

A primeira das apresentações chama-se “Inovação Coletiva na Era das Redes Sociais“. Acredito que será discutido coisas como crowdsourcing, sabedoria das multidões, colaboração, entre outros, tudo focado em redes sociais e inovação. Grandes nomes como Marcelo Coutinho, Carlos Nepomuceno e Sergio Amadeu serão os palestrantes.

Já o Cazé Peçanha estará lá para falar do “Cidadão Jornalista – O Futuro da Informação“. Ninguém mais apropriado do que ele já que criou o Gengibre, serviço de distribuição de informações rápidas no formato de áudio.

Negócios Digitais e as Novas Mídias (Ambiente Business)

Será interessante acompanhar “A revolução do DATA.GOV“. Provavelmente o Tiago Peixoto discutirá a ideia de os governos transformarem seus dados públicos em sistemas abertos, algo que já discuti em um post recente aqui no Techbits.

Em seguida teremos o Juliano Spyer, autor de alguns livros sobre interwebs, com o tema “O Futuro do Livro“. Bastante apropriado já que seu projeto de livro Para Entender a Internet foi lançado apenas em formato digital e gratuito e deve ganhar uma versão ampliada e revisada em breve segundo o próprio Juliano.

Desenvolvimento e Tecnologia (Ambiente Tecnologia)

Como a internets é o sistema operacional, é sempre bom conhecer o “Yahoo! Query Language“, tema da palestra do Bruno Zanchet, do Yahoo!. O YQL é como se fosse uma grande API de todos os webapps do Interwebs OS.

Vale também acompanhar a palestra “Opera Unite“, do Navjot Pawera, um dos destaques internacionais do InterCon. O Opera Unite permite tornar o computador de todos em um servidor de páginas web com funcionalidades sociais interessantes.

Mobilidade (Ambiente Tecnologia)

Na briga pelo mercado de mobilidade a Nokia é um dos grandes players interessados em aplicações móveis. Ou seja, ver a palestra “Plataformas Nokia de Desenvolvimento“, precisa estar no line-up de todo desenvolvedor da área.

No mesmo sentido saber as últimas sobre “A Revolução das Application Stores“, do palestrante internacional Angel Aldana da Blackberry RIM é “obrigatório”. Todo mundo que desenvolve pra mobile precisa vender suas criações nas apps stores da vida.

Criação Interativa (Ambiente Criação e Inovação)

O destaque vai para o pessoal da laboratorio.us que deve criar um mashup entre o mundo físico e o digital durante o período da manhã. A apresentação deles “Computação Pervasiva” é dividida em duas partes, a primeira rápida e a segunda quase na hora do almoço com a demonstração do mashup criado. Parece interessante, vejam a entrevista deles no MultiShow.

Também vale acompanhar “O melhor da produção interativa brasileira” que será apresentado pelo pessoal da Colmeia.tv, André Passamani e Eduardo Camargo.

Inovação e Empreendedorismo Digital (Ambiente Criação e Inovação)

Essa é uma área bem interessante. O Gilberto Jr, co-fundador da Amanaiê, vai falar sobre “Desenvolvimento para Social Media“. A Amanaiê cria widgets e webapps para que a multidão interaja com as marcas. Esse é o novo filão da conversação e relacionamento de longo prazo que citei em um post no blog ComRemix.

Já o Horácio Soares falará sobre “Acessibilidade como Fator de Inovação“. Recomendo assistir ao vídeo que o Acesso Digital, entidade criada pelo Horácio fez sobre acessibilidade. É genial.

Sorteio de DOIS ingressos! (Inscrições Encerradas)

Bom, acho que essa é a parte que muita gente quer saber! Sortearei dois convites para o InterCon 2009. Dois separados! Essa é parte é bom esclarecer. Não se trata de um convite com acompanhante e sim dois convites individuais, importante entender isso.

Agradeço à Polvora e ao iMasters por cederem cada um desses convites. E para estimular sua vontade de ir ao InterCon 2009, uma foto do evento do ano passado, retirado do Flickr:

intercon2008-mlemos

Para participar é simples! Basta comentar neste post uma palestra que você quer ver e também os motivos. Além disso você pode retuitar esse texto no Twitter e se possível citar o @techbits (ou @fugita) para que eu possa saber quem retuitou.

Cada comentário vale 1 “cupom” de participação. Cada retuíte valem 2 “cupons” de participação. Você pode comentar e retuitar uma vez por dia para participar deste sorteio. Valem comentários e retuítes de hoje, terça-feira, 27 de Outubro de 2009, até as 23h59 da quinta-feira, dia 29 de Outubro de 2009.

Não esqueça de deixar um e-mail válido no comentário e também seguir o perfil @techbits no Twitter para que eu possa entrar em contato com o ganhador.

No dia 30, sexta-feira, compilarei a lista de quem está concorrendo e tornarei pública tal lista através de uma planilha do Google Docs.

Em seguida farei o sorteio via Random.org. O sorteio será filmado para evitar problemas e o vídeo divulgado em seguida neste espaço. O sorteio acontece às 10 horas da manhã da sexta-feira. O ganhador será notificado e terá seu nome publicado neste post mesmo em uma atualização.

Resumindo as regras:

  • Comente neste post uma palestra que você quer ver e os motivos
  • Retuíte este post no Twitter
  • Siga o @techbits
  • Um comentário e um retuíte por dia.
  • Comentário vale 1 cupom. Retuíte vale 2 cupons.
  • Deadline: quinta-feira, 29 de Outubro de 2009, 23h59
  • Não crie perfis falsos no Twitter e nem um monte de e-mails falsos nos comentários. Vou checar esse tipo de comportamento.

Prontos? Boa sorte!

Cupons

[atualização em 30/10/2009, 3:00]

Neste momento as inscrições para o sorteio já foram encerradas e já compilei a lista de todos os participantes. Há 54 cupons de 22 pessoas diferentes. A lista completa dos participantes pode ser vista na planilha abaixo:

Sorteio

[atualização em 30/10/2009, 3:30]

O sorteio foi realizado e os ganhadores são o Tony Fabeen e o @cleytonb. Entrarei em contato com ambos para informá-los do prêmio! Parabéns!

Claro, gravei o sorteio. Você pode conferir o vídeo aqui.

Podemos dizer que TV = internet?

por Alexandre Fugita

u2webcastNa madrugada desta segunda-feira a banda irlandesa U2 fez um show que foi transmitido ao vivo pela internet no YouTube (imagem ao lado). Até aí nada demais, todo mundo transmite coisas ao vivo pela internet no Justin.tv ou Qik. O que impressiona no caso é a escala da coisa. É a segunda vez que o YouTube faz esse tipo de transmissão ao vivo. Na primeira vez 700 mil pessoas acompanharam o streaming do evento. Desta vez foi provavelmente algo bem maior. Daí vem a pergunta… TV? Pra mim TV já é igual à internet faz um bom tempo.

Muitos comentários no Twitter durante a transmissão já apontavam para esse fato impressionante. A transmissão de vídeo na internet é bem diferente da transmissão do sinal de TV. Na TV apenas um sinal é transmitido por uma antena e vários aparelhos exibem essa transmissão. Na internet é necessário transmitir um sinal para cada ponto que esteja vendo o vídeo. Imagina 1 milhão ou mais de sinais transmitidos ao mesmo tempo. E o tempo total da transmissão durar duas horas e meia… Impressionante, né?

Se já é possível transmitir pra tanta gente ao mesmo tempo um sinal de TV pela internet, daqui a pouco o sinal do cabo ou do espectro de frequências se tornará obsoleto. Eu, por exemplo, raramente assisto TV de verdade. Tanto que agora nem tenho mais TV à cabo e nem antena de TV normal.

Quando quero noticiários em vídeo vou ao G1. Quando quero assistir séries, TPB. Se quero ver um programa da TV aberta, YouTube. Um bom exemplo é o caso do Um Contra Cem, programa do Roberto Justus no SBT, só assisto no YouTube.

Na TV dependemos da grade imposta e programação, na interwebs não. Claro que a transmissão do show do U2 era em um horário pré-definido. Mas logo em seguida aconteceu o re-broadcast e o vídeo ficará disponível para quem quiser assistir quando bem entender. Claro que a TV aberta mudou. A Globo e Record transmitem seus noticiários em seus portais de notícias.

E tudo isso faz parte de uma discussão bem mais ampla que já rendeu muitos posts neste blog. A internet permite a distribuição da informação de forma bem mais barata que os métodos “convencionais”. É assim com o jornal de papel, com o DVD de plástico e também para o sinal da TV. O suporte físico tem maior percepção de valor. Mas acho que no fim os bits do TCP/IP vencem! É a velha escassez vs. abundância.

Leia também:

E o Windows 7, vira?

por Alexandre Fugita

windows7Hoje foi lançado o Windows 7, a versão mais recente do sistema operacional mais usado no mundo. Em 2007 previ que essa nova versão não sairia em 2009. Errei feio mas a culpa não foi minha, foi do Windows Vista que quase foi um desastre gigantesco. A Microsoft correu e lançou antes das festas de final de ano o que pode ser seu produto mais importante e decisivo para o futuro da empresa.

O cenário atual é bem diferente do que era no início de 2007. Naquela época não existia o iPhone, o Ubuntu era um sistema operacional obscuro restrito a nerds e o Windows XP reinava soberano nos computadores de todo o mundo. Claro, o Windows ainda reina, mas o OSX da Apple e o Ubuntu fizeram avanços importantes. E nem falei do Google Chrome OS que deve ser lançado no ano que vem.

O Windows Vista foi visto como o patinho feio dos sistemas operacionais. A Microsoft errou feio ao lançar tal sistema tão cru e com vários problemas. Blogs e sites influentes de tecnologia recomendaram à MS que matasse o Vista e voltasse à prancheta. Não foi o que fizeram mas o resultado de um sistema tão ruim foi que muita gente preferiu fazer um upgrade para o XP ao invés de usar o Vista. Sim, upgrade.

Já o Windows 7 aparece bem melhor na fita. Tenho usado de vez em quando a versão beta ou RC – não sei ao certo – já faz alguns meses. A máquina que eu rodo esse sistema não é lá essas coisas, um Celeron com apenas 1 GB de RAM, e pra minha grande surpresa o Win7 roda de forma razoável. Se fosse o Vista acho que o hardware não aguentaria. Só para informar, meu SO de escolha é o Ubuntu por enquanto.

Muitas pessoas que conversei e que também testaram o Windows 7 disseram coisas parecidas, ou seja, pelo menos na percepção do público “early adopter” esse sistema está bem melhor que o Vista.

O lançamento de hoje é importante para a gigante de Redmond. Primeiro para tirar o peso do Vista dos ombros do Steve Ballmer. Alguns cogitaram até sua saída devido a fracos resultados de sua gestão. Depois porque a concorrência tem avançado ferozmente em vários campos da Microsoft. Se o modelo deles de Software + Services vai funcionar só o futuro dirá. E viva o Windows 7!

Curiosidade: por coincidência ou não o comprador número 2 do Windows 7 é o mesmo cara que foi o comprador número 2 do Vista. Ou o cara gosta mesmo do Windows ou ele foi contratado pela Microsoft para aparecer no jornal… :-)

Veja também:

páginas12345..102030..67

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email