TV digital? Vou de YouTube

por Alexandre Fugita

[Tv digital] Há cinco anos a TV digital era algo legal. Hoje já não parece tão atrativa assim. Ontem finalmente definiram a data de lançamento do sistema no Brasil, que começará progressivamente por São Paulo. A digitalização tem lá suas vantagens, vai permitir interatividade, mais canais por faixa de freqüência, assistir à TV no celular, ver as rugas das atrizes na novela (!)… Mas tudo isso não serve para nada pois o problema da TV convencional, a restrição e escassez, não são páreos para os os vídeos via internet. Fora que mesmo que feita de zeros e um, a programação dos canais aberto deve continuar o mesmo lixo de sempre.

(*) imagem deste post, via Flickr

Escassez vs. Abundância

Qualquer que seja a grade de programação da TV digital, ela continua a ser exatamente isso, uma grade. Horários definidos pelos exibidores, programação medíocre que faz o país se mobilizar para saber quem matou a Taís ou quem ganhou o último BBB, não o dos blogs. A TV à cabo, que já é digital, é uma alternativa um pouco mais interessante pois apresenta uma programação bem mais variada, capaz de preencher alguns nichos e não massificar o gado humano. Mas mesmo assim continua com o problema da grade, gerando escassez. Isso sem falar do DRM

Daí aparecem uns gênios que criam um site que faz exatamente a mesma coisa que muitos já tentaram – exibir vídeos na web – e acertam a mão. O YouTube é a verdadeira TV moderna. Não há restrição causada por uma grade de programação escassa. Não existe a imposição de assistir a algo quando bem o dono daquela concessão governamental de TV quiser. Nós fazemos o horário e a programação. Já passei horas vasculhando o YouTube. E foram horas interessantíssimas.

Outra opção é o Joost que finalmente saiu do beta fechado dias atrás não necessitando mais de convites. Apesar do Joost ainda não ter a abundância de conteúdo de um YouTube[bb] – e nunca vai ter pois não é voltado para conteúdo gerado pelo usuário – é muito melhor que a restrição de horários e grade da TV convencional e digital. Outros dizem que o Joost já era e o negócio agora é o DNAStream

700 reais?

Uma outra crítica à implantação da TV digital no Brasil é o preço do conversor. Setecentos reais? Fala sério? Na interweb é possível encontrar por meios não exatamente legais, conteúdo digital de alta qualidade, de graça. Outras iniciativas como a o Mundo Record da TV Record, trazem sem custo algum todo o conteúdo de um canal da TV na internet, na hora que quisermos. Canais americanos como a ABC disponibilizam em seus sites algumas das séries mais assistidas, via streaming. E a Brasil Telecom acaba de lançar sua IPTV. Minha TV digital definitivamente é a internet.

Comentários do Facebook
28 comentários
  1. 1. Dermeval Hildebrand disse em 3 out 2007 - 18:02

    Sr. Alexandre,
    Entendo que você está comparando coisas bem diferentes.
    A TV aberta ou TV a cabo obrigatoriamente tem que ter algumas restrições de horários pois se não fosse assim os custos para que você tivesse acesso seriam proibitivos.
    Os investimentos para a produção de programas são muitos elevados. Não estou falando de programas de gostos duvidosos mas produções que como jornalismo, séries entre outras.
    Como exemplo, o investimento de um único capitulo de novela pode chegar a custar mais de R$ 400.000,00.
    Quem banca tudo isso são os anunciantes e patrocinadores que tem o interesse em vender seus produtos.
    Estes anunciantes tem interesses pré determinados em atingir o seu público consumidor e isto é feito através de informações de pesquisas que mostram quais pessoas assistem determinados programas.
    É analisado o passado que se estima o futuro.
    A flexibilidade de horários inviabilizaria estas informações e os anunciantes estariam jogando no escuro, coisa que eles dificilmente aceitariam.
    As diferentes midias devem ser vistas pelas suas própria características.
    Acredito que ainda estamos dando os primeiros passos na internet.
    A convergência destes meios ainda é será algo de muita discussão. A questão inicial é “Quem vai bancar tudo isto”.
    Acredito que com a implantação de TV HD teremos já no seu início mudanças nos formatos de comercialização dos meios eletrônicos.

    Dermeval Hildebrand

  2. Opa,

    1) Sobre o DRM: a decisão está na mesa do presidente. Só lembrando que 4 ministérios (Ciência e Tecnologia, Cultura, Desenvolvimento – o conservadoríssimo MDIC! – e Relações Exteriores) publicaram nota contra o DRM; o próprio ministro-e-funcionário-da-Globo Hélio Bosta andou recuando, dizendo que não é DRM e coisa do tipo. E a pressão em cima do gabinete do presidente e da ministra da Casa Civil dos dois lados está violenta.
    2) Preço do conversor: early adopter, né? Early adopter paga mais, não adianta, taí o exemplo do iPhone. Quem quiser que pague 700 reais em dezembro. Em 2009, quando estiver bem mais barato, eu penso no assunto ‘conversor’ :P até porque TV digital aqui por BSB só em 2008 mesmo.

    Quanto à TV digital brasileira em si? Tem um problema de nascença sério e ‘inconsertável’.
    O ISDB-T é ótimo… para garantir que os retransmissores atuais mantenham sua faixa de espectro e não tenham novos concorrentes. Tudo o que a Globo queria. Dane-se a concorrência, afinal vai que eles se tornam mais poderosos que os Marinho (não viu o desespero deles de tentar evitar a Record News de ir pro ar?)… ESSE é o problema. 50 anos de manutenção dos latifúndios eletromagnéticos, 50 anos de monopólio da manipulação das massas para as 4 grandes famílias (Marinho, Saad, Abravanel, IURD) e famílias menores/regionais (Martinez, Sirotsky, Maiorana, Magalhães etc).

    Ah sim, vai ter HDTV, vai ter TV no celular… HDTV é perfumaria e NINGUÉM está interessado em TV no celular (se alguém estivesse interessado, já teria decolado na Europa faz tempo).

  3. Fugita, você tem razão em alguns pontos. A internet oferece uma gama enorme de possibilidades, como YouTube, Joost e até mesmo algumas iniciativas nacionais, como as da Record e Globo (Globo Media Center).

    No entanto, isso não apaga as excelentes inovações da TV digital. Como tudo que dá seus primeiros passos, há problemas. As possibilidades não são totalmente exploradas, os preços são poucos acessíveis etc.

    Mas já existe tecnologia para que os telespectadores montem sua grade. No curto prazo, as perspectivas são ótimas.

    Agora, de uma coisa discordo totalmente de ti. HDTV não é perfumaria. Imagem cristalina e som surrond também oferecem uma nova forma de ver TV. Não podemos desconsiderar.

  4. 4. Humberto disse em 3 out 2007 - 23:35

    Uma comparação um tanto tola…
    Comparar a TV digital com portais e serviços da web 2.0, no sentido de concorrência (que se da a entender no trecho “não são páreos para os os vídeos via internet. Fora que mesmo que feita de zeros e um, a programação dos canais aberto deve continuar o mesmo lixo de sempre.”) não faz muito sentido… a TV Digital vai assim como outros meios de comunicação se propagar e tornar algo comum (assim como esta acontecendo com a Banda Larga, a TV a cores no passado, padrões de midia como o DVD, HD-DVD, e os proprios serviços citados acima…), outro ponto é dar como ponto fraco a baixa qualidade da TV aberta, independente da tecnologia ela vai continuar assim… E evidentemente a internet tem e ira ter uma maior oferta de conteudo, nada muito diferente do que é hoje…
    O conversor aos poucos tera seu custo reduzido (no mais, o custo pode variar muito de modelo para modelo… Alguns dizem que haverá modelos por R$200, como sempre, não passam de especulações…)
    Conteudo na internet com alta qualidade requer uma boa conexão (tendo em vista que um DVD, com uma qualidade decente, tem no minimo 4-5GB, se pensarmos no futuro, esse valor deve ser +-3 vezes maior, hoje, para se baixar o episodio de uma serie em boa qualidade, se gasta +- 1-1,5 GB), levando em conta que aqui em São Paulo, o custo de uma boa conexão fica entre R$ 100-200

  5. Dermeval,

    Concordo com todas as afirmações que você listou. Certamente alguém vai ter que pagar. A questão da comparação da TV (restrição) com a internet (abundância) na verdade tem a ver como distribuição de conteúdo ocorre nos dois meios.

    Creio que a TV migrará para a internet, com os mesmos tipo de produção, custos, etc… só que não ficará restrita à grade de programação fixa. Este é o ponto. O meio “sinal de tv” traz escassez. O meio “dados via internet” traz abundância.

    Cesar,

    O problema do DRM é exatamente esse… vai ser decidido no grito. E imagino que é quase certo que o consumidor será prejudicado. Enquanto o mundo está acordando para o erro que é o DRM, o Brasil rema contra e quer implantar na TV digital…

    Quanto à escolha de padrão, nunca quis fazer um texto sobre isso no Techbits mas concordo com vc, em gênero, número e grau!

    Ale Rocha,

    É certo que a TV digital traz inovações e novos desafios. Creio que se existir possibilidade de montar a própria grade isso será uma grande vantagem do sistema.

    Quanto à HDTV ser perfumaria, acho que vc se confundiu… foi o Cesar (comentário #2) que afirmou isso. Não concordo totalmente com ele, mas também não discordo. O HDTV, sim, tornará-se o padrão dominante, afinal é uma grande evolução para a caixinha.

    Humberto,

    Talvez eu não tenha sido claro no meu texto. Acredito sim que o meio TV ainda existirá. O problema é a forma de distribuição de conteúdo. TV digital continua sendo uma concessão governamental que poucos podem possuir. E tem “espaço” limitado na freqüência para transmitir coisas. Isso gera escassez coisa que, vc mesmo afirmou, não existe na internet.

    O preço certamente vai melhorar. Mas para quem tava prometendo conversores a menos de 100 reais, lançar a 700 significa que alguém por lá não sabe fazer as contas.

    Abraços a todos e valeu pela ótima discussão!

  6. Muito interessante o Mundo Record. Confesso que eu não conhecia…

    Quanto ao que foi dito, eu não acho que a tv vá deixar de existir por causa da internet, não. Há muitas coisas para melhorar ainda, tanto na tv, quanto na internet. E achar que a TV morrerá por isso, é um tanto prematuro. Acho que ela –a TV– está aprendendo. A Record é um exemplo disto. Está oferecendo novidades, enquanto a Globo está esperando ser devorada.

    E mais: quem baixa série na internet, geralmente dá um jeito de passar pra TV. Ou seja, preferem assistir na TV. Isso é questão de costume.

    Além do mais, a experiência de ver um TV digital não se compara a ver um vídeo no YouTube…

    Abraços.

  7. Mário, a TV está se transformando cada vez mais em monitor, uma extensão do computador. Mas concordo com você na questão da Record. Falem o que quiser do Edir Macedo, mas o cara tem visão.

  8. […] o Fugita escolheu o YouTube no embate com a TV Digital e demais op??es de v?deo, talvez ele n?o saiba da exist?ncia […]

  9. A Internet é uma maravilha. Vídeos na Internet são o supra-sumo da interatividade, o usuário produz o conteúdo.

    Mas e quem não tem computador? Segundo dados do IBGE, apenas 10% das pessoas possuem computador no
    Brasil (obviamente, as classes sociais mais altas), e apenas 7,5% possuem acesso à Internet. Desses, alguns poucos têm banda larga capaz de transmitir um vídeo.

    Já televisão, 90% das casas possuem ao menos 1 aparelho.

    A grande motivação da TV Digital no Brasil é a Inclusão Social através da Inclusão Digital. Esforços estão sendo feitos para levar computadores e treinamento às comunidades carentes, e agora a TV vai servir como instrumento para levar informação à essas pessoas.

    Não espere isso em dezembro de 2007. Talvez até 2010 não teremos multi-programação e Interatividade real, útil…

    Os set-top-boxes vão ser caros no lançamento, mas o governo está disposto a liberar linhas de financiamento, onde os aparelhos mais comuns, que não terão alta definição nem interatividade, terão prestações de R$7,00, segundo informações oficiais do governo.

    E não esqueça o seguinte: todo produto tecnológico quando´é lançado é caríssimo, e depois vai barateando… lembra dos telefones? celulares? notebooks? a própria TV por assinatura?

    Mas não esqueça que a partir de agora o telespectador vai passar a ter como fornecer feedback às emissoras.. isso já muda muita coisa, tem a ver com a TV 2.0, em alusão à Web 2.0. Vc diz que a programação é ruim, etc, etc… mas quem assiste é quem determina o que as emissoras irão produzir, se o espectador têm opções, vem a concorrência, e com a concorrência vem a melhora da qualidade.

    Dê uma lida no meu blog, lá tem muita informação sobre a TV Digital e links para diversos sites sobre o assunto: http://www.b4it.com.br

  10. A Internet é uma maravilha. Vídeos na Internet são o supra-sumo da interatividade, o usuário produz o conteúdo.

    Mas e quem não tem computador? Segundo dados do IBGE, apenas 10% das pessoas possuem computador no
    Brasil (obviamente, as classes sociais mais altas), e apenas 7,5% possuem acesso à Internet. Desses, alguns poucos têm banda larga capaz de transmitir um vídeo.

    Já televisão, 90% das casas possuem ao menos 1 aparelho.

    A grande motivação da TV Digital no Brasil é a Inclusão Social através da Inclusão Digital. Esforços estão sendo feitos para levar computadores e treinamento às comunidades carentes, e agora a TV vai servir como instrumento para levar informação à essas pessoas.

    Não espere isso em dezembro de 2007. Talvez até 2010 não teremos multi-programação e Interatividade real, útil…

    Os set-top-boxes vão ser caros no lançamento, mas o governo está disposto a liberar linhas de financiamento, onde os aparelhos mais comuns, que não terão alta definição nem interatividade, terão prestações de R$7,00, segundo informações oficiais do governo.

    E não esqueça o seguinte: todo produto tecnológico quando´é lançado é caríssimo, e depois vai barateando… lembra dos telefones? celulares? notebooks? a própria TV por assinatura?

    Mas não esqueça também que a partir de agora o telespectador vai passar a ter como fornecer feedback às emissoras.. isso já muda muita coisa, tem a ver com a TV 2.0, em alusão à Web 2.0. Vc diz que a programação é ruim, etc, etc… mas quem assiste é quem determina o que as emissoras irão produzir, se o espectador têm opções, vem a concorrência, e com a concorrência vem a melhora da qualidade.

    Dê uma lida no meu blog, lá tem muita informação sobre a TV Digital e links para diversos sites sobre o assunto: http://www.b4it.com.br

  11. Concordo que a tv Digital, do modo como está sendo proposta, não muda nada. Mas acho que o YouTube, por ser um modelo tão inverso de distribuição, não é uma alternativa tão óbvia pro grande púbico.

    Talvez o Kyte seja mais apropriado, já tem um modelo semelhante, de criação de canais, mas com um botão mágico chamado “Crie o seu” que faz relmente a diferênça pelo fim da escassez cultural.

  12. Mário,

    Não sei se falei que a TV vai deixar de existir. Na verdade o que tentei dizer é que o meio “sinais de rádio” é restritivo e o meio “bits da internet” é abundante.

    Quanto a baixar e ver na “telona” da TV, é verdade, é mais confortável. Por isso disse que o meio de transmissão é que é antiquado.

    j.noronha,

    Ou o cara tem visão… ou tem medo (da Globo)… ou quer vingança (da Globo, de novo)!

    Marcos,

    Concordo com a estatística, mas a pergunta me levou a uma resposta diferente. Com um set top box custando uma fortuna, essa TV digital não irá promover inclusão digital em um primeiro momento. Talvez em dez anos, vai saber. Mas os PCs também estão ficando baratos. A “inclusão digital” por meio de um computador é melhor do que por uma TV interativa, creio eu.

    Acredito que esse feedback possível por parte dos telespectadores aos programas vai ser algo muito interessante de se ver e estudar os impactos causados na qualidade e na programação.

    Quanto ao seu blog, vou sim visitar, vou assinar o RSS e procurar os textos de TV digital!

    Abraços a todos!,

  13. 13. Citação de Techbits em 11 out 2007 - 17:08

    A nova distribuição de conteúdo…

    Dias atrás a, quando defendi o Youtube frente à TV digital, alguns não entenderam que a minha crítica ia para a forma de distribuição de conteúdo. Não acho que os tradicionais produtores de conteúdo vão deixar de existir. Acho que terão que …

  14. Uma ótima opção é o T!V! http://www.videolog.tv/tivi/ com ele qq um pode montar a sua programação. E fiquei sabendo que vai rolar de por videos do Youtube tb! A exibição do Video é aquele lance de tela cheia mas melhor que o JOOST em relação a acesso. Pode ver sem precisar instalar nada!

    O serviço é feito por Brasileiros, pelos cariocas do Videolog!

    Eu to com o convite de beta tester e tô gostando muito, pois é muito fácil montar a minha programação! Tudo no Drag end Drop.

    Na home dos caras da pra ver como será a exibição, lá no final da página http://www.videolog.tv . Só acho que seria melhor se isso estivesse no topo e não no rodapé né! ehehe

    Abs

  15. Xará,

    Valeu pela dica, já conhecia!

    Até!

  16. 16. alan disse em 20 out 2007 - 22:17

    quais sao os novos canais da tv digital,vai ter canais como cartoon network e entre outros.

  17. 17. alan disse em 20 out 2007 - 22:19

    quais sao os novos canais da tv digital,vai ter canais como cartoon network e entre outros

  18. alan,

    novos canais ainda não estão definidos. Aguarde!

  19. 19. Ricardo Moriaki disse em 29 out 2007 - 16:37

    E sem falar na Apple TV, que desbancará de vez a TV digital

  20. Ricardo,

    Sim, Apple TV e todas essas outras coisas!

  21. 21. Gabriel disse em 15 nov 2007 - 18:43

    Quanta besteiraaaaa….
    Primeiro vc comparou 2 coisas diferentes,
    e muitas vezes para publicos diferentes.
    E saiu no jornal o conversor será um mais simples primeiramente para atender as pessoas que nao tem condiçoes e nao sairá por mais de 25 reais.

    Precisamos de informaçoes antes de chegar a um
    ponto de vista.

  22. Gabriel,

    Besteira ou não, as duas coisas merecem ser comparadas. São concorrentes uma da outra, é só perguntar para qualquer adolescente, quantas horas gasta na TV e no YouTube. O YouTube ganha, pode apostar.

    A TV digital não vai mudar o problema da distribuição de conteúdo, que aflinge tanto a TV atual, quanto o modelo de TV à cabo. Esse é o verdadeiro questionamento.

    Abraços!

  23. Vídeos do Youtube na TV digital:
    http://b4it.blogspot.com/2007/11/vdeos-do-youtube-na-tv-digital.html

    Abraço,

    Marcos Henke
    http://www.b4it.com.br

  24. Marcos,

    Ótimo texto e link, valeu, comentei lá, já vi que respondeu, depois faço a tréplica!

    Abraços!

  25. […] A qualidade da imagem é o diferencial, como diria o Solon. Mas em termos práticos é só isso que está mudando. O que importa, ou seja, a possibilidade de escolha que a internet nos ensinou, continua restrita à grade imposta pela emissora de TV. Já havia dito isso antes, mas minha TV digital é a internet. Prefiro mil vezes a variedade e liberdade de escolha de um YouTube. […]

  26. porque não mostra quais os canais que passa na
    tv digital sera que e igual a antena parabolica
    não tem quase nada para assistir digo nen um canal de filmes

  27. Essa página abre ja com um disparate. O cérebro do cara que escreveu la em cima…dizendo que ninguem quer tv no celular e que a programação é um lixo; o cara é um revoltado da vida…tipo aqueles suicidas…coitado,o cara é pra baixo total…fora da casinha.

  28. 28. Anônimo disse em 30 ago 2013 - 19:45

    Tem um navegador que estou usando chamado Spark que permite baixar vídeos do Youtube de um jeito muito rápido: http://br.browser.baidu.com/?referrer=sjbbr

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email