O interesse da Google nos 700 Mhz

por Alexandre Fugita

700 Mhz Ontem a Google anunciou oficialmente a intenção de dar um lance no leilão da faixa de 700 Mhz – liberado pela antiga TV analógica – para prover acesso móvel à interweb lá nos EUA. Daí vem a pergunta que não quer calar: por que diabos a Google, gigante de buscas e publicidade on-line, teria esse interesse diferente do seu negócio principal? Seria algo pra dominar o mundo ou outra coisa?

As razões podem ser variadas, mas o press-release desta oficialização dá umas dicas. O Eric Schmidt, CEO da gigante de Montain View, diz que qualquer que seja o resultado do leilão, os consumidores serão beneficiados por uma rede mais aberta, própria para tráfego de dados dos widgets e mashups que caracterizam a web como plataforma.

Relacionando o assunto com a controvérsia da Net Neutrality, as coisas começam a fazer mais sentido. Talvez a Google queira evitar para o mercado de internet móvel uma nova discussão de neutralidade da rede que ameaçou tomar conta da internets e que culminou com a declaração humorística do senador americano Ted Stevens, de que a internets é uma série de tubos. A mobilidade não quer ficar refém dos tubos.

E realmente para nós consumidores, toda aquela ladainha de arrepiar os cabelos dos executivos das bells americanas, da Google exigir do FCC que a faixa dos 700 Mhz siga alguns princípios de acesso aberto, traz benefícios. A oferta mínima de US$ 4,6 bi, se atingida por qualquer um (leia-se Google ou concorrentes) garante uma rede móvel aberta. Se ninguém atingir esse valor – o que duvido muito – vai haver um segundo leilão no qual os princípios não são garantidos.

E aí entra a questão do Android OS e do Open Handset Alliance, como isso se encaixa? Fácil! O Android OS será um sistema operacional para suportar os widgets tanto da Google quanto aqueles feito pela comunidade de desenvolvedores que já se formou (aprenda com isso, Apple!). Provavemente a maioria desses pequenos softwares se comunicarão com a nuvem da internet, seja para obter dados de outros serviços, seja para trocar informações com o resto do mundo.

Esse é o pulo do gato. Uma rede 700 Mhz o mais aberta possível para tráfego de dados, junto com um sistema operacional baseado em widgets sedentos por comunicar-se com a nuvem. Tenho muitas razões pra acreditar que tudo isso mudará a forma como interagimos com nossos gadgets, internet e pessoas.

Comentários do Facebook
8 comentários
  1. Enquanto isso, no Brasil… :P .

    []’s!

  2. Queremos internet grátis e sem fio no mundo inteiro! =D

  3. A única coisa que me vem a mente: O futuro (presente) será (é) livre e colaborativo :-)

  4. Ghedin,

    O Brasil a gente nem considera em um post desses…

    Thássius,

    Hehehehe! Quem sabe um dia…

    Sérgio,

    Esses são uns dos ideias de mundo que enxergo. Não sei se é muito utópico, mas como disse para o Thássius, quem sabe um dia…

    Abraços a vcs!

  5. Muito boa matéria…
    Iria comprar o iphone.. agora vou esperar algum com o android… Parece ser bem melhor!

  6. Google Lança Novo Programa para iPhone!…

    Ultimamente todos os meus posts sobre o iPhone tem sido feitos no meu blog A Maçã, mas esta notícia era boa demais para deixar passar em branco. Segundo informações do Reuters, o Google anunciou que está lançando uma nova……

  7. Thomaz,

    Bom, o Android vai demorar cerca de 1 ano para aparecer… pode comprar o iPhone enquanto isso!

  8. […] Segundo o Fugita o Google está apostando no mercado sem fio, com a notícia de que vai fazer um lance no leilão da faixa de 700 Mhz nos Estados Unidos contra os peso-pesados Verizon Wireless e AT&T Inc (até hoje operadora exclusiva do iPhone por lá). […]

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email