Achei a web semântica

por Alexandre Fugita

[ChaCha] Há muito se fala que o futuro é a web semântica. O meu entendimento de web semântica, é a criação de meta-informação (*) padronizada dentro das páginas e serviços web com o objetivo de facilitar máquinas interagirem entre si e entenderem o significado do conteúdo. Em outras palavras, uma máquina não entende conceitos, textos, ou o que fazer em um serviço web. A meta-informação da web semântica é a explicação para as máquinas do que aquela informação significa para nós, humanos. A grande dificuldade para se criar uma web semântica é que teríamos que colocar meta-informações em toda a informação que já existe na web. Fico imaginando o quão complicado é esta operação. Não seria mais interessante as máquinas realmente entenderem, através de inteligência artificial, o significado do conteúdo do que criar meta-informações só pra elas? Enquanto isso não ocorre, descobri um serviço que usa humanos para transformar a web em semântica.

(*) meta-informação: informação sobre a informação… no caso, uma espécie de folksonomia voltada para as máquinas…

ChaCha, a busca semântica

O ChaCha é um serviço de busca na qual nós conversamos com seres humanos de verdade, via chat, pedindo a eles que procurem determinada coisa para nós. Fiz um teste, achei interessante pois do outro lado é realmente uma pessoa (perguntei duas vezes), mas no geral creio que seja mais fácil fazer por conta própria a pesquisa no Google ou outro mecanismo de busca do que ficar perguntando para alguém fazer isso por mim. Elaborei uma pergunta complexa, pedindo hotéis em Madri, Espanha para o Ano Novo, em determinada faixa de preço. Das três respostas que obtive, duas foram mecanismos de busca de hotéis na Europa e apenas uma tinha quase aquilo o que pedi. Não é exatamente uma busca semântica, mas é um avanço.

Web semântica

O próprio Tim Berns-Lee diz em seu artigo sobre web semântica para imaginar uma situação do dia a dia na qual, interagindo com nossos gadgets semânticos poderemos resolver vários problemas com a ajuda de um assistente pessoal que entenda converse com outras máquinas e interprete a informação. No exemplo que ele demonstra, uma pessoa marca o médico para a mãe, escolhendo o melhor em termos de logística de compromissos para todos os envolvidos na operação. A máquina mostra as possibilidades e o humano apenas escolhe o que acha melhor.

A web semântica como está concebida – das máquinas lerem meta-informações para tentar entender o conteúdo – não funciona. Seria tão complicado e tomaria tanto esforço padronizar toda a informação da web com meta-informações que é impraticável. Se hoje muitos sites nem seguem os padrões web, mesmo tendo vários anos para terem feito isso, não imagino a possibilidade de um dia esse mar de informações ser transformada em web semântica com a inclusão das tags de meta-informação.

Inteligência Artificial

Só vejo a possibilidade das máquinas realmente entenderem o significado de textos, figuras e serviços na web ou no mundo real, no dia que se tornarem inteligentes de verdade. Lá vem eu de novo com essa baboseira de ficção científica. Bom, um estudioso chamado Ray Kurzweil afirma que neste século atingiremos a singularidade tecnológica e isso talvez seja possível. Quando isso acontecer, aí sim a web será semântica, mas talvez ela nem seja da forma que conhecemos hoje e sim algo totalmente diferente que simplesmente não há como imaginar. O irônico de tudo isso é que precisaram colocar uns humanos por trás das máquinas para que a busca se tornasse semântica…

Comentários do Facebook
12 comentários
  1. Fugita, que descoberta hein, quando eu pensei que já havia visto de tudo eu vejo até atendentes humanos fazendo pesquisas para mim de graça :O! que coisa, esse é um mercado que tá ficando cada vez mais difícil de entrar…
    uma dica aqui: a galera do insite.com.br desenvolveu uma linguagem chamada BDL (Bot Description Language) e com essa fizeram um robozinho chamado ibot para a Petrobras que responde perguntas como se fosse um ser humano, se lembra do teste de turing? Acredito até que ele pode passar pelo teste de turing para uma criança, antes que eu me esqueça, aqui vai o site: http://www.conpet.gov.br/ed/

  2. Olá Tiago!

    A busca é uma das coisas mais importantes da web. O dia que ela virar semântica de verdade, sem ajuda de humanos, com a possibilidade de atender a tudo e a todos o tempo todo, isso sim será uma revolução. Por enquanto precisam de humanos para que a sêmantica de uma frase seja perfeitamente (ou quase) entendida.

    Há vários robôs de chat, alguns servido empresas como esse que vc citou da Petrobras. Eu já “conversei” várias vezes com a A.L.I.C.E, robô simpática, que não entende tudo mas disfarça bem. Não passa no teste de Turing.

  3. 3. Neto disse em 17 dez 2006 - 19:19

    Olá Alexandre!
    Eu conheço o Chacha search. Já fiz algumas buscas e pesquisas com ele… Achei interessante a forma como ele usa.
    Aliás, na web vem se proliferando muitos (e bons) sites nesse conceito trazendo sempre uma nova maneira de abordagem (veja também o Hakia)…
    Quanto ao conceito de web semântica, ou a forma em que tudo na web e todas as informações serão interativa e inteligente a ponto de reconhecer nossos desejos como seres humanos, é talvez a grande meta dos cientistas tecnologicos (que o digam o pessoal lá do Vale do Silício).

    Mas, ainda acho que vamos demorar muito até atingir esse patamar descrito (e muito bem!) por você. Parece utopia, mas como em internet as possibilidades são enormes, não é tão impossivel que isso um dia venha a acontecer…
    Afinal,na web tudo caminha para essas finalidades. ;-)

    Quanto às buscas… Embora tenha testado muitos sites, sempre acabo voltando para o bom, velho e eficiente Google.

    Abraços.

  4. 4. Neto disse em 17 dez 2006 - 19:23

    o Link do Hakia http://www.hakia.com/

  5. Olá Neto!

    Legal essa dica do Hakia! Acho que neste caso não há humanos interpretando nossos desejos. É a tendência tornar tudo sempre mais fácil para nós humanos interagirmos. E com certeza coisas que nem imaginamos serão realidade em um futuro próximo. É só viver pra ver, hehe!

    Também não abro mão do Google, pelo menos por enquanto. Sua eficiência para achar coisas ainda é insuperável.

    Falou!

  6. Alexandre, bom artigo! Só de ver esse tema rolando nos blogs já me anima!

    A Amazon tem um serviço de baseado em humanos também, o Mechanical Turk.

    Mas eu discordo um pouco de você… Não acho que a Web Semântica seja algo tão utópico, principalmente se pensarmos em domínios específicos.

    Provavelmente ano que vem veremos uma explosão de dados estruturados na web (pelo menos na web gringa): RSS, microformatos, etc.

    Isso já é o suficiente para aumentar bastante a semântica e criar aplicações em cima deles. Depois disso, dá-lhe Web Semântica!

    Se interessar, dá uma olhada nesse artigo meu e repare que não é nada tão extraordinário: Exemplos de Aplicações na Web Semântica.

    Abraços!

  7. Olá Maurício!

    Que bom que gostou do artigo. Eu tinha ouvido falar desse serviço da Amazon, mas não cheguei a testar.

    O que eu vejo é que ainda hoje, muitos sites sequer estão adaptados ao chamado padrões web. Muita gente ainda desenvolve sites novos seguindo conceitos totalmente ultrapassados. E isso vai perdurar por muito tempo. Então, creio que transformar toda a web com meta-informações pode levar ainda mais tempo já que isso não afeta o visual das páginas e sim a maneira como as máquinas a interpretam. Pra transformar tudo isso, usando microformatos ou outras coisas, vai levar com certeza muito tempo.

    Por isso minha opinião um pouco diferente das outras: só com inteligência artificial é que as máquinas finalmente entenderão a web e qualquer outra coisa que exista. E aí as meta-informações talvez nem façam mais sentido, se é que foram largamente adotadas. Isso é só minha opinião. Claro que torço para que a web semântica torne-se realidade. E eu apóio com certeza padrões web, microformatos, meta-informações…

    falou!

  8. […] novos frameworks, mudança na organização das informações, novos servidores web, webstandards, web semântica, sistemas mais interativos e até em formas diferentes de se entender o que de fato é necessário […]

  9. Alexandre,

    Concordo com você, acredito na Web Semântica através de inteligência artificial. Lembrando que só meta-informação não é o suficiente, é necessário ter um mínimo de “reasoning” para manipular esses metadados. De qualquer forma extrair metadados usando IA já é um grande começo.

    Tenho uma referência nacional também, digo para textos em português. Vejam esse demo. Use os botões à direita para processar a notícia.

    []s
    Christian.

  10. Christian,

    Interessante o link que vc mandou. Certamente não vai adiantar colocar meta-tags em tudo que é página se os computadores não entenderem o significado delas.

  11. No futuro cada techbiter(esse termo pode ir para a wikipedia-hehehehe) terá um avatar que entenderá de xml+html+flash+seo+etec e com inteligência artificial+semântica saberá exatamente oque vc quer pq muita coisa que era ficção já se tornou realidade estamos quase entrando na matrix – hehehe

  12. 12. Carla Torpedo Homer disse em 11 mar 2011 - 15:19

    como se faz uma busca semantica em arquivo rdf ?

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email