A burocracia do registro de domínios no Brasil

por Alexandre Fugita

[burocracia ponto com ponto br] Ontem o Registro.br, órgão que faz parte das incontáveis entidades que cuidam da gestão da internet no Brasil, liberou uma lista com 78860 domínios que podem ser novamente registrados após passar um período no ostracismo, na geladeira. Há de tudo um pouco, muitos nomes que remetem a sexo, nome de tudo quanto é profissão ou tipo de negócio e domínios parecidos com sites conhecidos mas escritos de forma ligeiramente errada. Por exemplo, um dos domínios liberados é o 0rkut.com.br, com um zero no lugar da letra “o”.

O problema é alguns desses domínios tendem a nunca mais serem registrados depois que caem nesta lista do chamado processo de liberação. Tudo culpa de uma particularidade da regra que envolve o processo. Qualquer pessoa apta pode requer registro dos domínios liberados ontem. Mas se duas ou mais pessoas quiserem registrar o mesmo domínio, ninguém leva e o nome volta para a lista, aguardando um próximo processo de liberação. Seu sonho de ser dono do domínio youtubu.com.br e receber milhares de visitas por engano de quem procura pelo site de vídeos, jamais vai acontecer.

O mais estranho de tudo é como um nome vai parar nesta lista. Em algum momento alguém registrou os domínios que hoje estão presos neste beco sem saída. Passado um ano, que é o período mínimo de registro, esse alguém deixou de pagar o Registro.br para manter a propriedade.

Seria de se esperar que órgão regulador, ao notar a inadimplência, liberasse o site para outros registrarem, como acontece em qualquer país que não seja o Brasil. Mas não é esse o procedimento, o domínio fica congelado… por até 6 processos de liberação… algo que acontece umas duas ou três vezes por ano… até finalmente o Registro.br ter certeza que o antigo dono perdeu o interesse… (e todo mundo mais).

E aí esse nome cai no processo de liberação… Se for um domínio disputado pode ficar preso para sempre nesta lista. Ah, só para constar: se você quer um desses domínios da lista, faça a requisição em 50 formulários preenchidos à máquina via internet entre os dias 6 e 21 de Outubro de 2007.

Burocracia ponto com ponto bê-erre

No nosso país só existe um órgão que pode registrar domínios, não há concorrência. Fora do Brasil, várias empresas disputam esse concorrido mercado. Por conta disso um registro nos EUA, por exemplo, pode sair por cerca de dois dólares. A média é um pouco mais alta, ao redor de 7 dólares, mas mesmo assim é menos da metade que pagamos no Brasil – trinta reais.

Fora essa diferença de preços, no exterior é também menos burocrático. Ninguém precisa ter CNPJ para registrar um domínio. Não precisamos sequer morar nos EUA para fazer o registro. Basta pagar e escolher o nome. Aqui no Brasil, não. É necessário uma pessoa física e uma pessoa jurídica para registrar um simples domínio (*). E dá-lhe complicação.

(*) domínios .com.br.; pessoas físicas podem registrar .nom.br, agora mais barato, ou outras combinações… mas todo mundo quer mesmo é PONTO COM PONTO BR…

No país que mais horas usa de internet no mundo, abrir um simples site é uma via crucis. Enquanto o poder de registrar domínios continuar na mão de um monopólio estatal negócios pela internet ficam engessados. Milagreiros são aqueles que conseguem empreender em um país tão travado como este.

Comentários do Facebook
22 comentários
  1. Fugita, é verdade, eu nem pensei 2x quando fui registrar o digoreis.net sem BR. Pena que eu registrei no 100br que é uma facada :S

  2. Fora o preço acessível, algumas empresas lá fora te dão o servidor dns e e-mail como brinde no registro.

    É mais fácil registrarmos um domínio .org, do que um .org.br , pois o segundo exige comprovante de organização não governamental sem bens lucrativos e o cnpj. Te dão o prazo de 1 mês para improvisar a documentação e enviar por CORREIO, o que parece muito se o desempenho do SEBRAE não fosse também burocrático.

    A curto prazo, somos obrigados a correr para empresas que registram sem seu CNPJ, pelo dobro da taxa e no nome deles.

    “Brasil! O país de todos.”

  3. 3. Jose Antonio disse em 2 out 2007 - 11:05

    Fugita, até que voce tem uma certa razão. O processo de liberação não é muito bom. Eu tenho uma empresa e no inicio deste ano eu tentei cadastrar um dominio que estava em processo de liberação. Tive que mandar cópia do contrato social da minha empresa pelo correio para São Paulo para provar que o dominio refletia a razao social da minha empresa e mesmo assim não consegui. Não sei se foi pelo prazo ou se tinha outra empresa tentando cadastrar.

    Mas tirando isto, eu acho o processo de registro muito rápido e ágil. Eu registrei na mesma época um outro domínio, configurei os servidores DNS, recebi o boleto com a anuidade e a paguei com muita facilidade. Em apenas algumas horas meu domínio já estava no ar. Tudo sem interferencia humana, além da minha, claro. Além disto, 30 reais por ano não é um preço absurdo. São 2.5 reais por mes! Tem lugar que voce nem compra uma coca com esse preço.

    Ah… E eu não sei até onde os registros .com.br deveriam ser liberados para qualquer pessoa. Afinal, como a propria extensao indica, é um domínio para uso COMercial. O problema é que no Brasil todo mundo esta acostumado com registros .com.br e se esquecem que existem outros para outras finalidades.

    Bom, falei demais. Parabens pelo seu blog, Fugita. Estou sempre dando uma lida nele.

  4. O processo de liberação tem as suas desvantagens, mas também tem suas vantagens. Se alguém registrou um domínio e o deixou chegar ao ponte de processo de liberação, é com certeza que essa pessoa não estava capacitada para usar esse domínio. Assim quando volta a ser liberado, a empresa com as devidas documentações que lhe mostram aptas para receber esse domínio consegue o registro. Acaba sendo um pouco melhor que no EUA que qualquer domínio que se for registrar, já está registrado, pelo preço baixo e facilidade de registro.

  5. Nunca pensei em ter um domínio .br devido a toda essa burocracia, que sai do campo do real e invade também o virtual quando falamos de Brasil.

  6. Ótimo texto, bons argumentos, fiquei contente por ter lido. Ter um domínio ponto-com-ponto-br” não é para qualquer um, não.

  7. Ola Fugita!

    Gostaria de focar o outro lado: alguns dos dominios que foram liberados já foram usados para espalhar malware no Brasil, especialmente os que tem nomes relacionados ao Orkut e ao Youtube, veja:

    Criminosos brasileiros criam falso Youtube (www.youstube.com.br)
    http://linhadefensiva.uol.com.br/2007/05/falso-youtube/

    Criminosos investem em domínios para espalhar malware
    http://linhadefensiva.uol.com.br/blog/2007/08/br-dominios-malware/

    Acho que o Registro.BR teria que ter mais controle em liberar alguns dominios, ou no minimo acompanhar se o 0rkut.com.br está sendo usado licitamente.

    Infelizmente e com certeza esses dominios parecidos com os verdadeiros serão usados para espalhar malware.

  8. Eu utilizo o Registro.br para outros projetos,fora esse esquema de liberação tartaruga,é super rápido para mudar DNS e outros.
    eu registro .com por R$14,50,então dá pra comprar 2 dominios pelo preço de 1.
    Tem que pensar bem.
    e parabéns pelo post!

  9. Eu não registro nem vou nunca registrar domínio com.br. Tirando quem digita direto, que deve dar 10% de meia dúzia, .br só serve para discriminar o domínio internacionalmente. O negócio é .com, por qualquer ponto de vista.

  10. Rodrigo “Milhouse” Reis,

    Tem várias empresas que fazem o intermédio para registro de domínios internacionais e cobram uma facada. Melhor procurar um registar (empresas que fazem registro) diretamente.

    Helder,

    É por aí. A burocracia e o monopólio do registro de domínios no Brasil é um verdadeiro empecilho para os empreendedores.

    Jose Antonio,

    Bom, eles usam esse método de pedir documentação para estudar se um domínio deve ir para alguém ou não… Mas pelo visto não deve funcionar direito…

    O preço realmente não é caro. Mas se pensarmos que fora do Brasil é pelo menos metade desse valor, fica caríssimo.

    Quanto à regulação de domínios .com.br, não sei se existiria problema em liberar o registro sem CNPJ, por exemplo. Apesar de .com significar comercial, também virou sinônimo de site na internet. E quem está abrindo um negócio, às vezes nem tem CNPJ para comprovar, mas pode ser que futuramente vire algo rentável. Não permitir o registro de .com.br sem CNPJ só dificulta o empreededorismo.

    Finalmente, que bom que gosta do Techbits. Agradeço a preferência, hehe!

    Maurício,

    Pelo visto há vantagens e desvantagens no sistema brasileiro. Não gosto do monopólio e também das regras malucas da liberação de domínios.

    Thássius,

    Esse é o Brasil.

    Ana Carmen,

    Pois é, não é pra qualquer um. Mas deveria ser, penso eu.

    Fabio,

    Realmente esse lado é ruim. Mas se estão cometendo crimes, não dá pra colocar polícia atrás deles?

    Existe um caso de domínio parecido que não foi usado para malware que é o UTube.com . Não sei se vc chegou a acompanhar, mas é uma fábrica de tubos cujo site existe faz tempo, antes do YouTube… e foi ‘atacado’ por pessoas digitando errado o endereço no browser.

    Felipe,

    É rápido, mas burocrático. Culpa do monopólio. Não é à toa que vc consegue registrar 2 .com por 15 reais…

    j.noronha,

    Ótimo ponto! Realmente a quantidade de pessoas que digita diretamente o endereço é pequena em relação ao total de visitas. O povo chega mais por mecanismos de busca ou outros sites.

    Abraços a todos!

  11. 11. Jose Antonio disse em 4 out 2007 - 10:18

    Se a maioria das pessoas chegam aos sites atraves de mecanismos de pesquisa, então não tem pq todo mundo querer registrar um dominio .com.br. Acho que o unico empecilho para registros comerciais do tipo .com.br são para empresas informais. Aí eu realmente concordo que é um empecilho para empreendedores. Mas aí o problema não é apenas com a burocracia no registro de dominio, e sim na burocratização do Brasil como um todo, tanto para pessoas físicas e jurídicas. Pedir documentação realmente serve para decidir quem tem direito sobre o dominio, mas como voce decide se duas empresas tem o mesmo nome? Sim, isso é possível se as duas atuarem em ramos diferentes.

    Alias, quero deixar bem claro que eu não sou a favor desta burocratização. Sou a favor da organização dos domínios. Na minha opinião, sem levar em consideração preço e burocracia, dominio .com é dominio comercial internacional e .com.br comercial nacional.

  12. Jose,

    Concordo que a maioria chega por mecanismo de busca. Mas ter um domínio .com.br é bom para a marca das empresas, creio eu. Acho que quase toda grande empresa brasileira tem site .com.br.

    A burocracia que reclamo é a exigência de CNPJ além do monopólio. Eu, que nem moro nos EUA, consigo um domínio .com fácil, fácil.

    Abraços!

  13. Gente
    Burocracia é uma característica do Brasil. Com domínios não seria diferente.

    Não sei qual seria a melhor opção para resolver a questão dos domínios não pagos, mas esse processo de liberação é um atraso mesmo.

    Parabéns pelo post!

    Maysa

  14. Maysa,

    Acho que a solução para domínios não pagos é simplesmente liberá-los para outros registrarem. Quem não teve interesse e não pagou, não merece ficar “segurando” o domínio por 3 anos sem pagar nada… e ainda ter a preferência de registrar novamente…

    Abraços!

  15. […] terá que ter CNPJ, assim, prepare-se para ter que enfrentar a burocracia nacional (assunto interessante sobre isso no Techbits). Para registros no exterior isso não é necessário, e é bem mais […]

  16. Eu que o diga… Só a necessidade de empresa aberta para ter um nome .com.br já é o cúmulo.

    Demorei pra pegar um domínio “meu” que alguém registrou, eu já tinha o .com e pegaram o .com.br, por sorte não houve interesse em “concorrer” ou manter nem me vender o domínio, hehe.

    Sobre a 100br hehe eu comecei com eles, mas depois troquei de gerenciador, é um absurdo cobrar R$ 45 pela renovação ainda nos dias de hoje!

  17. Eu tenho registrado um dominio de um cliente que me deve 68.000, todos os anos eu pago o boleto.
    Porém não sei como faze-lo ficar definitivamente para mim, para eu até revende-lo para terceiros.
    A empresa proprietaria faliu e esta concordatária.

    J.Claudio.

  18. Também eu gostaria que alguem postasse sobre o processo de liberação de dominios congelados.

    J.C

  19. 19. Paulo disse em 11 out 2011 - 01:25

    A comparação entre .com.br e .com e .net.br e .net não é válida pois .com e .net são domínios internacionais, não vinculados a um país. Portanto não faria sentido exigir um domicílio em um país especificamente, como nos EUA, por exemplo. Agora, os domínios com terminações de países, tem sim regras diferenciadas. Depende de país para país. Existem países que distribuem de graça e para pessoas não residentes no país de origem do domínio, outros que cobram caro e que exigem documentos. O .com e o .net não são de um país. Como poderíam exigir cpf ou cnpj??

  20. gostei de entrar,aprendi bastante lendo os comentarios sobre .com etc,gostaria de saber se posso vender,e transferir um dominio

  21. Agora não se precisa mais ter um cnpj! Melhor

  22. 22. Rafa disse em 18 mar 2014 - 22:59

    Caso queira buscar domínios expirados dos processos de liberação.

    http://www.buscadominios.com.br

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email