DRM: Windows Media e iTunes desbloqueados

por Alexandre Fugita

Windows Media e iTunesUma das discussões intermináveis do mundo da tecnologia, ganhou novos contornos esta semana. O DRM sofreu um novo ataque. Não, isso não é o nome de uma banda. DRM é a sigla para Gestão de Direitos Digitais (Digital Rights Management, em inglês). Trata-se de um conjunto de tecnologias que visa proteger direitos autorais e de cópia de arquivos digitais como músicas, filmes, fotos e e-books. Foram divulgadas formas de contornar arquivos protegidos do Windows Media Player e do iTunes, dois dos tocadores de mídia mais usados atualmente.

Gravadoras vs. Consumidores

Os detentores de direitos autorais têm, como o próprio nome diz, direito sobre suas obras. Quanto a isso não há discussão. Músicas, filmes, fotos, livros, tudo isso está protegido de alguma forma por leis, mundo afora. Uma das formas de monetizar (dinheirizar, diriam os mais xenófobos alguns) tais obras é cobrando do consumidor final uma quantia pelo direito de uso. É aí que surge o problema quando tratamos de arquivos digitais. Não estou falando de preço, e nem de cópias ilegais.

Se você compra uma música na iTunes (nós brasileiros não podemos fazer isso), só poderá ouví-la em seu iPod. “E daí?”, você pergunta. Atualmente iPods são acessórios da moda, todos querem ter um. Vamos supor que daqui a alguns anos você resolva trocar seu iPod por um mp3 player de outra marca… Aí vem a lembrança: foram milhares de “dinheiros” com música legalizada na loja da Apple. O que fazer? A resposta simples é: comprar todas as músicas de novo. A resposta ruim é: ficar preso aos iPods para sempre.

O DRM e Marisa Monte

A reinvidicação dos usuários é simples: que tal se pudéssemos usar a mesma música comprada para o iPod, no Zune, no PC/ Mac (*), no CD do carro, no mp3 do celular? Isso se chama fair use, ou o uso justo. Não se trata de pirataria. É apenas o direito de usufruir da forma que bem entender por aquilo que se pagou.

Recentemente tivemos o caso da Marisa Monte que bloqueou a tranformação de seus CDs em mp3 para fair use no iPod, por exemplo. Causou polêmica, mas nem tanto quanto o caso do rootkit da gravadora Sony-BMG.

(*) na verdade dá pra usar no PC e no Mac, desde que se use o software da Apple (iTunes) e que o computador seja o mesmo que foi usado para comprar a música.

Comentários do Facebook
11 comentários
  1. maldade! Fiquei com fama de xenófobo. ;-)

    Mas falando do seu artigo, na verdade quando você compra através do iTunes, você pode, se eu não me engano, escutar no iPod, se você tiver um, e no próprio iTunes.

    Uma coisa que descobri recente foi que na verdade, quando você compra um CD ou DVD, você não está comprando o filme naquela mídia, mas sim o direito de uso daquele conteúdo naquele formato. Por isso você não pode ripar um DVD para assistir no iPod ou pegar um CD e passar para MP3 e escutar no PC, carro ou iPod. Você precisa comprar o direito de uso para o MP3 e assim vai. Isso tem a ver com leis e direitos autorais.

    Este papo tem um quê bastante técnico que precisaria de uma pessoa de direitos autorais ou um advogado para explicar melhor. O pouco que li a respeito se resume a isso.

    abs!

  2. Antigamente, voce comprava seus LP´s de vinil, selecionava algumas, colocava numa fita K7 e dava ao seu amigo, para que ele pudesse conhecer novas músicas. Bom, isso tb era pirataria, mas as gravadoras nunca fizeram tanto barulho por conta disso.

    Hoje, tem tanta gente querendo criar barreiras contra a distribuição do mp3 que temos que definir o que é, de fato, “fair use”…. Exagero!

    Parabéns Cebola, gostei do Blog.. vejo que eu, vc, e kátia.. estamos no fim das contas todos envolvidos com a mesma área! legal!

  3. Bernabauer, foi mal ter colocado um link de xenófobo para vc… A intenção era mostrar a diferença de opiniões, nada mais. Vou tomar mais cuidado com o que digo dos outros (e sem conhecer). Foi um prazer ler seu comentário, e é verdade, não citei no texto mas vc tem direito de ouvir pelo menos no iTunes do computador usado para compra. O assunto direitos autorais é complexo mas também interessante.

  4. Ei Eric! Legal que vc veio me visitar. Incrível como é esse mundo. Fui pesquisar um assunto e dei de cara com o seu blog, que nem sabia que existia. O que me preocupa é vc pagar por uma música com DRM para ouvir no iPod, e só nele (no iTunes também). Tá certo que as pessoas abusariam e copiariam músicas para os amigos. Mas tem muita banda por aí crescendo e fazendo sucesso com o “boca a boca” da internet. Talvez o modelo de negócios das gravadoras esteja precisando de um revigorada.

  5. Tenho uma sugestao pra quem quizer saber mais sobre ROOTKIT…
    Tem um podcast, uma entrevista em mp3, falando sobre o assunto no site:

    http://www.securityradio.org/

    abracos
    alessandra marfisa
    http://www.marfisa.org/news/marisa_monte_cds_anticopia-00644.html

  6. Oi Alessandra!
    Legal! Sempre bom para aprendermos mais.
    Ah, sou ouvinte assíduo do seu podcast! Parabéns!

    Alexandre

  7. […] Filmes, seriados, tudo mais é distribuído pela internet via bit torrent. Na maior parte isso é ilegal e a indústria do entretenimento combate fortemente via RIAA (a associação desta indústria). Mas o problema não está aí e sim no modelo de negócios adotada pelos grandes estúdios: distribuição lenta, restrições tipo DRM, mídia física (CDs e DVDs). Creio que chegou a hora de tudo isso mudar. É quase impossível combater a distribuição ilegal de filmes via internet. Bloquear o bit torrent é questionável pois nem todo conteúdo que circula por esse protocolo é ilícito. Aumentar o poder do DRM também é questionável pois não vale a pena gastar milhões e P&D nisso. Alguém, em algum lugar do mundo, vai descobrir como desbloquear um novo sistema em questão de dias. O que a indústria precisa é de um novo modelo de negócios. […]

  8. Microsoft: segurança não é assim, tão importante……

    Nos dias de hoje navegar pela web com segurança é importante. Por isso toda segunda terça-feira de cada mês temos o “patch tuesday“, dia em que a Microsoft libera as correções de segurança para falhas descobertas no mês anterior&#82…

  9. A nova tacada da Apple…

    Foi-se o tempo em que a Apple era uma simples fabricante de computadores pessoais. Agora ela é na verdade uma distribuidora de arquivos digitais. Com DRM, claro. A grande tacada da Apple foi integrar a oportunidade de vender o player mais cobiçado de…

  10. 10. Marcio Leite disse em 14 abr 2007 - 09:21

    A passagem da Idade Média, Idade das Trevas, para o Renascimento, com todo o seu esplendor cultural se deveu a popularização da prensa de Gutemberg. Essa invenção tornou a informação, que antes era transmitida apenas de boca-em-boca, acessível à massa. Lógico que esse processo levou centenas(milhares?) de anos, mas antes os pouquíssimos livros que existiam eram escritos à mão por monges, eram quase sempre bíblias, e a quase totalidade das pessoas não sabia ler. Daí o domínio da Igreja Católica.
    A revolução que nos é proposta pela internet e sua evolução, pois com a convergência e evolução da disponibilidade de banda chegaremos a uma rede muito maior e completa(estrada da informação, como diz o Bill Gates), assusta o estabilishment e seus meios tradicionais de acúmulo de recursos e poder, pois os ameaça seriamente. Já imaginou um mundo com meios digitais potentes e disponíveis a todos? O analfabetismo seria extinto naturalmente, e a capacidade de decisão dos indivíduos aumentaria absurdamente com acesso à informação. E informação livre, não viciada ou censurada pela linha editorial e política das editoras e emissoras, que depende obviamente dos interesses dos patrocinadores/anunciantes. Sem nenhum pesar e esforço podemos até imaginar um mundo sem políticos!!!
    Por isso escrevo este comentario, esse é um sonho possível, mas precisamos nos mobilizar, politizar a discussão, nós usuários precisamos pensar maior, ver a figura toda, e defender nossos direitos de acesso a informação como meio de atingirmos uma sociedade mais justa e realmente democrática, e não esse engôdo em que vivemos.
    Mas isso assusta DEMAIS, não pode! Tem que haver CONTROLE! Vamos dissiminar o MEDO (internet é perigoso, vicia..), vamos fechar as LAN Houses pois as crianças matam aula para jogar (como se não fossem matar aula do mesmo jeito), vamos restringir o Bit Torrent, criar a necessidade de cadastro dos usuários da internet e registro dos sites que visitamos pelos provedores de acesso (projeto em tramitação no Congresso Nacional), e por aí vai. São tentativas reacionárias de manter o poder.
    Além disso, não é uma opção que temos, é uma necessidade, pois a alternativa é sinistra demais: Big Brother. Não esse entretenimento banal da TV, mas o verdadeiro Big Brother, aquele do 1984 (alguém leu/viu/lembra 1984???) Com tanta tecnologia quem acha que é possível levanta a mão. Esse é o verdadeiro perigo, e é contra isso que devemos lutar, e lutar agora! Espero que não tenha parecido neurótico, mas sim consciente e coerente, pois o objetivo com que escrevo aqui é abrir os olhos de quantas pessoas quantas puder para a realidade que surpreendentemente até agora não vejo ser discutida amplamente. Por isso, só gritando:
    ABRA A CABEÇA!
    VIVA O NOVO!
    Parece comercial de refrigerante, mas tem boa intenção…

  11. Marcelo,

    Não sei se o seu comentário faz sentido para este post. De qualquer forma acho que vc não acompanha o Techbits já que aqui tudo que vc falou é discutido de forma profunda ao longo dos textos.

    Abraços!

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email