Não pirateie o Windows, há opções

por Alexandre Fugita

UbuntuHá pouco mais de um mês fui assaltado e levaram meu notebook, ou seja, minha ferramenta de trabalho. O computador rodava Windows XP original OEM. Como conheço um pessoal na Microsoft, perguntei se poderia utilizar aquele DVD do Windows – notem, original – que tinha sobrado na caixa vazia do roubado laptop. Claro, não podia. Óbvio, ao ter comprado o Windows e concordado com a EULA (termos de uso), concordei que seria assim caso isso acontecesse.

Faz umas duas semanas comprei um notebook novo. Desta vez escolhi, pela primeira vez em toda a minha vida, não usar o Windows no PC. Ok, não estou contando a época em que eu tinha o MSX e achava aquela tela de 16 cores o máximo. Adquiri um notebook Positivo, com Linux Mandriva pré-instalado. Tirei o Madriva e coloquei o Ubuntu. Como nos últimos anos comecei a achar que o sistema operacional estava perdendo a importância, tudo que eu queria era um computador que rodasse o Firefox. E o Ubuntu[bb] tem FF nativo. Ótimo.

O fato é: se eu for novamente roubado, posso usar o mesmíssimo CD que usei para colocar o Ubuntu na minha atual máquina, para instalar onde mais quiser. Além disso, não preciso comprar licença do MS Office, já que meu uso do pacote seria nas funções básicas. Vou de Google Docs. E também não pretendo instalar Windows neste notebook mesmo porque existe o Wine e também já tenho um desktop com Windows XP.

Já que acredito que a web é a nova plataforma, fiquei feliz esse fim de semana ao descobrir que minha evangelização em softwares on-line traz resultados. Descobri que uma amiga, que também comprou um notebook recentemente, decidiu usar o Google Docs ao invés de comprar uma licença do MS Office 2007. Agora falta convencê-la a usar um leitor de RSS[bb], on-line, claro. Não pirateie software, há opções.

Comentários do Facebook
36 comentários
  1. Bem vindo ao time!

  2. Difícil está em convencer minha esposa! Mas tenho fé!

  3. 3. Marcos disse em 12 nov 2007 - 15:14

    Concordo com você, Alexandre.

    Confesso que ainda não consegui abandonar o Windows, mas já utilizo bastante ferramentas opensource no meu dia a dia.

    MS Office, então, minhas máquinas não sabem o que é há tempos. :) Navegador, compactador/descompactador, edição de imagens, e muitas outras, todas categorias onde se pode encontrar ótimas opções opensource sem muito esforço.

    Isso sem contar inúmeras opções de softwares “fechados”, mas gratuitos; e aqui se tem desde anti-vírus, anti-spywares/trojans até players de áudio e vídeo, etc.

    Ainda não consegui me familiarizar com a idéia de softwares online, como o Google Docs, e aqui ainda prefiro o Open Office. Mas quem sabe um dia. :)

    E quanto a sistema operacional, uma de minhas metas é um dia ser totalmente livre…hehehe

    Abraços!

  4. Triste a parte do assalto. Mas fico feliz em saber que atualmente os aplicativos estão perdendo sua importancia, pois o que o usuario quer mesmo é usar os ap?icativos, tanto online como offline.

    Aplicações basicas como processador de textos, planilhas.. são quase tudo iguais, o que difere de um para outro são itens irelevantes para 90% da população.

    Abraços

  5. A minha questão é:

    Se usar o Wine, você não vai precisar de uma licença do Windows pra fazer rodar ele na máquina virtual? Como isso funciona?

  6. Excelente campanha Fugita. Utilizo bastante também aplicativos online mas para trabalhos complicados acabo utilizando open source e freeware mesmo.

    Infelizmente ainda estou dependendo do MS Office e Photoshop para algumas tarefas, mas isso é enquanto não aprendo totalmente o OpenOffice e GIMP.

  7. Num caso extremo, basta apenas um kernel que boote um Firefox. Se sua vida está online, pouco importa o sistema no qual você roda seu browser.

  8. Felipe,

    Hehe! Bem vindo mesmo, pq estou curtindo!

    Adailton,

    Baixa o Live CD e rode direto do drive ótico. Faça ela testar pra ver como é fácil e mais leve!

    Marcos,

    Bom, o principal software open source que uso é o Firefox. Tem outros, mesmo no Windows. Agora resolvi adotar de vez o FLOSS, pelo menos no notebook.

    Quanto a softwares on-line, tem muita coisa que não dá pra fazer neles e aí a melhor opção, por enquanto, é o tradicional software off-line.

    Rodrigo,

    Exato. Como a maioria não usa a maioria das coisas – ok, dizem que todo mundo usa 10%, mas sempre diferentes – creio que aplicações simples e que funcionam deveriam ser adotadas com maior freqüência. Felizmente muita gente começou a enxergar que melhor não é o mais complicado. Melhor é o mais fácil de usar.

    Camilo,

    O Wine é um emulador open source para Windows. Não dá pra rodar o Windows virtualizado nele. E sim, se este fosse o caso, teria que ter uma licença do software.

    Danilo,

    Não é exatamente uma campanha, é um post que estava entalado na garganta já fz um tempo. Resolvi retirá-lo da “gaveta” agora, hehe!

    Quanto a aplicações opensource, também tenho preferido usá-las ao invés de software proprietário. Geralmente resolve o problema e são mais leves.

    Cesar,

    Exato, como eu disse uns posts atrás, que se dane o sistema operacional.

    Abraços a todos!

  9. 9. Marcos disse em 12 nov 2007 - 16:39

    Alexandre, também uso o Firefox, há bastante tempo, e sou um “maníaco-por-extensões”…rs Tenho um monte instaladas, e vivo instalando e desinstalando um monte delas, fazendo testes, etc.

    Acho super bacana essa “abertura” do Firefox. Mesmo sabendo que muitas coisas padrão no Opera são extensões para o Firefox, ainda continuo com ele, e mal posso esperar pela versão 3. :)

    Abraços!

  10. Eu já quis muito ir para o Linux. Mas ainda não consegui me adptar, pois sou muito dependente do Photoshop e não consegui fazer ele rodar no Ubunto pelo Wine. Para ser sincero, a maior dificuldade pra mim é instalar programas no Linux.
    Mas que deu vontde de instalar o Linux de novo deu… Acho que vou tentar.

    Abraços

  11. Valeu pela resposta Fugita, esclareceu minha dúvida.

  12. Fugita-san

    Se vc ler o meu post de hoje, verá que eu tb acabei de comprar um notebook, mas acabei optando pelo Compaq.

    Vou instalar o Ubuntu e o Windows 2000 nele e ver o que dá! Caso eu compre memória a mais vou instalar o XP. Como é só para escrever e programar para Web, então optei pelos notebooks mais baratos!

    Com cupom de desconto do submarino, o preço ficou bem acessivel.

  13. Fugita sem Windows? Por essa eu não esperava! :)

    Mas você tem razão, cada vez mais os sistemas operacionais e programas locais perdem importância. Eu mesmo sempre usei o OpenOffice aqui no Debian, mas de um mês pra cá tenho usado mais o Google Docs do que o OpenOffice, já que posso acessá-lo de qualquer lugar e tenho mais opções de integração com outros serviços, como o GMail.

    Até mais!

  14. Putz, roubado?

    Como você é um genuíno usuário de aplicativos on-line acho que não haverá grandes diferenças. E o Ubuntu é mesmo muito bom!

  15. Realmente o Ubuntu é bom, eu que sou preguiçoso para aprender a mexer nele. Ainda prefiro o bom e velho XPzão.

    O texto é até coerente, mas acredito que não se aplique a todo mundo. Quem tem conexão discada, por exemplo, não pode ficar no messenger, no orkut e ainda se dar ao luxo de abrir o GDocs.

    Para ‘migrar’ para a plataforma web é necessário ter uma conexão constante. E ainda que haja banda larga, no Brasil a maioria das conexões é inconstante (ou alguém vai ter coragem de dizer que Velox, Speedy, Virtua, oferecem bons serviços? Nâo dá para depender deles).

    Abs Fugita.

  16. Alexandre,

    Há muito tempo estou querendo migrar de vez para o Linux, em especial para a distribuição do Ubuntu.

    Acho que em um notebook é ideal, pois poderia executar as tarefas cotidianas com os mesmo recursos do windows, sem estar pirateando nada…

    Parabéns pela iniciativa, e continue postando sua experiências no Linux.

  17. duvida!!!!!! seu eu instalasse este programa sobre o windows , todos os outros softwares tem que ser reinstalados?? ou o ubuntu reconhece o que estiver instaldo na máquina?

  18. Patrícia de Almeida: isso não é possível. Cada sistema operacional deve estar em uma partição ou HD diferente. Não existe sistemas operacionais numa mesma partição.

  19. Olá,
    Acho o Ubuntu uma maravilha. Instalei há poucos meses e estou gostando. Só nao migrei totalmente porque tenho problemas com a conexão sem fios no Ubuntu e tenho dual boot com o Windows, então aproveito para usar o Windows também. Para alguém que usou Windows a vida toda não é tão simples saber como funcionam os diretórios, pacotes, etc.
    Mas tirando o problema com a conexão sem fios, o Ubuntu funciona perfeitamente e é fácil de manejar. O legal é que além de ser gratuito, ser usuária do linux e de software opensource dá uma sensação de estar usando algo que foi feito por uma comunidade, algo coletivo com o qual a gente pode contribuir com nossas experiências.
    E sem dúvida, atualmente fica muito fácil usar ferramentas online, como editores de texto e imagens, disco virtual, álbum de fotos, etc.etc. muitas opções ao alcance da mão e sem ter que recorrer aos piratas.

  20. Qualquer dúvida sobre o Ubuntu, acesse o fórum de lingua portuguesa:

    http://ubuntuforum-pt.org

    Utilizo agora o Ubuntu Studio. É quase a mesma coisa, só que mais bonito por padrão :)

    http://ubuntustudio.org/

    Dá para instalar os temas do Ubuntu Studio, no Ubuntu normal.

  21. Estou usando o BR-Office, versão brasileira do Open Office, tanto no windows como no Kurumin, sem nenhum problema. E ainda salvo os arquivos no formato Office, para não receber queixas de outras pessoas.
    É besteira correr atrás do pacote caro…

  22. Também comprei um notebook esta semana e com certeza irei instalar o Ubuntu. Tenho ele instalado no meu desktop, junto com o Windows e poderia usá-lo sem nenhum problema, se não fosse o meu vício por games, que me obriga a ter outra plataforma.

  23. Eu gosto muito de software livre, embora no meu trabalho temos de usar windows, office, softwares da Adobe e outros mais pagos.
    A empresa gasta uma fortuna com licenças de softwares, são mais de 200 PCs em funcionamento.

    Eu particularmente prefiro um OS free, em casa tenho um PC windows(não consigo me livrar) e um linux( :) ).

    Acontece que a maioria das pessoas acham o linux difícil de usar, realmente o windows dá mais conforto ao usuário básico ou usuário comum.

    No meu caso eu acho ótimo usar linux, sou programador e trabalho bem melhor no linux, embora use windows no trabalho.

    Finalizando, o software livre lhe fornece muita economia, mas para muitas pessoas o desconforto.

    Quanto o uso de software online. Bom, ainda não é para todos, infelizmente.

  24. Importante ver ações como essa. Já uso Linux há alguns anos por motivos de trabalho, curiosidade e por apoio ao movimento de Software Livre.

    Realmente, a maioria das coisas são possíveis de se fazer no Linux. Óbvio, há programas (ainda) sem substitutos como o Photoshop, Dreamweaver, Firefox. Ferramentas específicas. Com a adoção da web como extensão do Desktop, poderemos ver em breve com o Java FX, Adobe Flex e MS SilverLight muitas aplicações portadas para web e conseqüentemente sem necessidade de instalação no HD. Quem viver verá.

    Fugita, pêsames pela perda abrupta do notebook. Bem vindo ao mundo Linux.

  25. Opa Fugita!

    Grande migração… e quando você descobrir os poders do apt-get install você se descobrirá que io Ubuntu é muito mais fácil de manter e operar que o windows…

    Sobre rodar tudo on-line, infelizmente, não é para todos… por exemplo, textos com muitas figuras e fórmulas matemáticas não são exportados/importados sem perda de formatação no googledoc, ao menos é minha experiência com provas de física feitas no MSword que tento importar :-(

    Mas esse é o caminho.. aplicações na web…

    Minha primeira experiência bem sucedia com linux foi com o Mandrake (antigo Mandriva) e posso te assegura que ele também é uma excelente distribuição… inclusive incorporaram o apt-get que faz as distro baseadas no Debian (ubuntu por exemplo) serem muito fáceis para manutenção do sistema.

    Mias sorte com o novo notebook!

    []’s

  26. Marcos,

    Bom, apesar de saber que coisas nativas no Opera são plugins/ extensões do FF, ainda prefiro no navegador da raposa. Essa flexibilidade que dá poder. Afinal podemos retirar o que não queremos e colocar o que nos é útil.

    Fabio,

    Bom, você pode tentar pelo LiveCD. Não precisa instalar nada no seu computador, o Ubuntu roda através do CD. Isso é muito bom. Quanto ao Photoshop, pois é, parece que não tem jeito. Mas que tal um Dual Boot?

    Falando de instalar programas, estou aprendendo e não é assim tão complicado. É diferente, talvez mais fácil, depois de entender como funciona.

    Camilo,

    Ok!

    Jonny,

    Windows 2000? Fala sério!?! Bom, a idéia é essa, não preciso de PC para processamento pesado e sim para web. E um dos baratos com Ubuntu funciona perfeitamente.

    Rubin,

    Essa é a grande vantagem dos softwares on-line, acessá-los de qualquer lugar. Uma vantagem tão grande que não ligo por perder funcionalidades que nunca usava.

    leanDrow,

    Pois é, como mantenho documentos e muita coisa on-line, o notebook roubado foi só a janela para esse meu acesso. Incrivelmente não havia um único byte ali que me fizesse falta. Tenho tudo on-line, hehe!

    Thássius,

    É verdade, para migrar para uma plataforma web é importante velocidade de conexão. E nem todos tem isso. Mas para mim já é realidade.

    Jane,

    Pois é, eu já não usava muitos softwares no Windows, dependia mesmo de coisas na web. Então para mim a “migração” não está sendo traumática.

    Patricia,

    Bom, o Thássius já respondeu, eu não poderia ter respondido melhor.

    phlox,

    Também tive um pouco de dificuldade de entender algumas coisas no linux. Mas como este blog está hospedado em um servidor linux, algumas coisas eu já sabia.

    A idéia de comunidade é fantástica, acho que a qualidade dos softwares produzidos desta forma não deixam nada a perder para os fechados.

    E como já disse, sou entusiasta do software on-line. Então o Firefox resolve quase tudo!

    Glaydson,

    Legal pela dica do fórum, vou precisar mesmo pra aprender as entranhas do linux.

    Enio,

    Uma ressalva que se faz ao Open Office e seus derivados é o fato do suporte às macros não funcionar igual no pacote da Microsoft. Para algumas pessoas, principalmente empresas, isso é essencial. Fora isso, acho o Open Office fantástico, mas como também não chego a usar boa parte dos recursos, fico com o Google Docs, mais simples e on-line.

    Vinicius,

    Já estou vendo, dual boot no notebook também!

    Renan,

    Pelo que vi a maioria das pessoas que usa Linux acaba usando Windows também, seja por causa do trabalho ou pq algumas limitações não foram superadas. Acho que você é um exemplo deste padrão, assim como eu e um monte de gente. Em relação ao software on-line, realmente não é pra todos. Por enquanto! :-)

    José Roberto,

    Firefox não tem substituto? Tem Firefox para Linux também. Aliás é o navegador padrão do Ubuntu. Acho que foi um pequeno engano seu, hehe! Masé verdade, tem coisa que não tem igual, mas tem alternativas viáveis.

    Sérgio,

    É, preciso aprender as manhas do apt-get. Já descobri algumas coisas, achei outras interessantes. Rápidamente vou entender todo esse sistema, hehe!

    Realmente, para todas as aplicações, acho que o Google Docs acaba não servindo. Mas tenho certeza que é útil para a maioria das pessoas. Isso que dá querermos ser os early-adpoters, sempre desbravando e quebrando a cara com coisas não implementandas.

    Abraços a todos, ótima discussão!

  27. 27. Sylvio disse em 16 nov 2007 - 16:19

    Isso que dá ser politicamente correto no Brasil. Fazes muito bem em largar o Windows. Quem dera que mais 20% dos usuários Windows tomassem a mesma atitude, veríamos tantas mudanças no mercado.

  28. Fala Fugita,

    Realmente as aplicações web já suprem todas as funcionalidades basicas, exemplo o gOS que é um linux que usa os aplicativos do google.
    Fico triste por você ter migrado nessas condições, mas de qualquer maneira você vai acabar se divertindo muito com as outras opções do ubuntu.
    T+

  29. Fugita,

    Muito legal seu post.

  30. Sylvio,

    Diz uma pesquisa brasileira que 18% dos computadores pessoas vendidos no Brasil rodam Linux. Sem hipocrisia, a pergunta é quantos desses 18% mantém o Linux em suas máquinas por mais de uma semana. Acho que se as fabricantes adotassem o Ubuntu como padrão, teriam muito mais aderência a essa plataforma do que com as distribuições hoje vendidas no mercado. E apoio totalmente quem quiser mudar para o Ubuntu, hehehe!

    Licio,

    O gOS, eu baixei e testei, mas não posso dizer que tenha ficado impressionado. É um Ubuntu com ícones que linkam serviços Google no Firefox. Prefiro o Ubuntu “original”, hehehe! Mas com certeza uma máquina dessas faria muito sucesso entre os leigos em informática no Brasil.

    Passamani,

    Que bom que gostou, hehehe! Além de não promover pirataria, o que é bom para a Microsoft, recomendei o Ubuntu. A primeira versão deste texto pegava mais pesado, culpando a MS pela pirataria do Windows…

    Abraços a todos!

  31. “[…] Sem hipocrisia, a pergunta é quantos desses 18% mantém o Linux em suas máquinas por mais de uma semana. Acho que se as fabricantes adotassem o Ubuntu como padrão, teriam muito mais aderência a essa plataforma do que com as distribuições hoje vendidas no mercado […]”
    As distribuições de Linux que eu vi nos “computadores populares” são tão mal feitas e cheias de falhas que parece que a idéia é realmente empurrar o usuário para uma cópia pirata do Windows. Não por falta de boas opções de distribuição no mercado…

  32. 32. Andre Passamani disse em 21 nov 2007 - 12:04

    Oi Fugita,

    Tem gente mais antiga que acha mesmo que a MS usou a pirataria como tática anterior ao motto Extend, Embrace & Exterminate. Isso é meio uma teoria da conspiração…

    Mas eu li recentemente um artigo na Business Week que defendia que a Microsoft deveria pelo menos não combater a pirataria como estratégia para alcançar os mercados emergentes…

    http://www.businessweek.com/innovate/content/jul2007/id20070725_504325.htm

    And remember, Microsoft has won the war in the U.S and Europe. The growth there is gone. The next billion Microsoft users will come from markets like Brazil, China, India, and Russia—if Microsoft’s IP management policies and lawyers don’t drive them into the Linux camp instead.

  33. Enio,

    Eu também tirei o Linux que veio na minha máquina. Era Mandriva, prefiro Ubuntu. Realmente, as distribuições que vem nas máquinas brasileiras não são nada atraentes.

    Passamani,

    Esse seu link foi fantástico, guardei no delicious. Essa é uma teoria bem aceita por aí. Deve ser verdade e o texto da BusinessWeek defende algo do tipo, hehe!

    Abraços a todos!

  34. Meu notebook não foi roubado como o seu, Mas também vou começar a utilizar um sistema operacional livre, pois hj em dia ficou mais fácil vc manipular este tipo de sistema. A comunidade tem se esforçado muito para que o usuário final possa interagir facilmente com ele. O Próprio gates afirmava a questão de depêndencia das pessoas, criando um mundo cultural em volta do windows.

    Excelente. Com certeza retornarei.

    Grande abraço

  35. Nesse caso podemos dizer que há assaltos que vem para o bem! :D

  36. Phoda isso… foi assaltado a menos de duas semanas atrás. dois fdps me apontaram a arma e levaram meu notebook… o triste é que nao tinha feito backup das fotos, nem das músicas e meu Ubuntu estava a 2 anos sendo configurado certinho e com tudo funcionando redondo: Enlightenment 17 com efeitos de compiz (ecomorph) e tudo mais rodando perfeitamente… mto triste :(

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email