Mashups com crowdsourcing

por Alexandre Fugita

[MapMixer] Uma das coisas mais interessantes da web certamente são os mashups. Boa parte deles utiliza mapas como parte da mistura de informações. Alguns até previram que mashups usando o Google Maps tenderiam a acabar pois a cada atualização do serviço, boas idéias são incorporadas. Não acredito nisso pois a criatividade da multidão faz surgir grandes novidades todo dia. Mas a multidão também pode ser usada para outras coisas, como trabalhar de graça crowdsourcing. O exemplo mais recente deste fenômeno é o MapMixer (o mapa acima é interativo, tente! achei melhor substituir por uma imagem fixa…), mashup baseada no Yahoo! Maps.

Como a própria descrição do serviço informa, o mundo é um lugar muito grande. Então, para ajudar a descrever locais que você conhece bem, que tal criar seu mapa e incluí-lo no serviço como uma camada? É isso que o MapMixer faz. Nós podemos incluir um mapa de uma determinada região no mashup, melhorando a informação disponível para todos. Um exemplo similar é a Wikimapia, mas neste caso nós colocamos informações relevantes, na forma de artigo, de cada ponto do planeta.

O MapMixer está totalmente dentro da essência colaborativa da chamada web 2.0, nos quais os dois milhões de artigos na Wikipédia em inglês são um verdadeiro marco. Usar o crowdsourcing para alavancar um serviço é muito mais fácil do que contratar mão-de-obra especializada para reformatar a informação. Aparece, então, o questionamento da qualidade do material criado. A grosso modo podemos dizer que a Wikipédia é um bom exemplo de que atingir qualidade é possível. Pessoas gostam de colaborar em troca de reconhecimento da comunidade. É quase um socialismo… mas na internet isso se chama colaboração.

Leia também:

Comentários do Facebook
5 comentários
  1. O problema é quando aplicamos isso num mercado como o brasileiro, onde nem sempre a colaboração é reconhecida.

    Um amigo meu trabalha pra sites de jogos fazendo reviews sem esperar nada em troca, apenas reconhecimento. Levou um susto quando o dono de um dos sites disse que seu material era bom e que o presentearia com um console novo para melhorar nas matérias.

    Esse tipo de reconhecimento não existe no mercado brasileiro. Não que a pessoa precise esperar algo mais que um destaque no site mas geralmente quem colabora recebe um título e só. Raramente sai da marca de “colaborador”… Ao menos esse conceito aqui em nossas terras está melhorando, vide que até a Wikipedia em português está começando a apresentar artigos de qualidade comparável a sua versão inglesa.

  2. dragus,

    Concordo com vc que quando se trata de colaboração a recompensa geralmente não é monetária e sim na forma de reconhecimento perante a comunidade, por exemplo. O caso do seu amigo de ter recebido um console novo é raro, mostra que o dono do site de jogos é alguém antenado e que pensa na qualidade.

    Eu ainda prefiro a Wikipédia em inglês. Mas sempre que o artigo em português está razoável, linko ele ao invés da versão em língua estrangeira. O certo seria eu ajudar a melhorar a enciclopédia editando o artigo. Na maioria das vezes não faço isso mas já fiz antes.

    Abraços!

  3. Só sei que o título bateu o recorde de densidade de buzzwords. :)

  4. alberto,

    hehehe, com certeza. Realmente exagerei nos buzzwords em um título!

    Até!

  5. […] site, chamado Totlol, apenas com vídeos para crianças de 6 meses a 6 anos. O site (um mashup) é quase que apenas um tipo de filtro no YouTube, visto que os vídeos continuam […]

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email