Google bombing e os senadores

por Alexandre Fugita

[Congresso da vergonha] Sempre quis falar aqui do Google bombing. Para quem não sabe, Google bombing é a prática de tentar influenciar os resultados do Google através de linkagem coletiva de determinada palavra a um site ou página web. Finalmente uma nova oportunidade surgiu já que os senadores brasileiros resolveram cometer suicídio político, absolvendo o colega Renan Calheiros. Foi uma vergonha nacional.

Não sei desde quando este Google bombing está funcionando e também não há garantias que continuará assim pelos próximos dias. O que acontece é que quando você procura por “vergonha nacional” no Google, o primeiro resultado cai no site do Senado Federal. O Google pontua as páginas através de algoritmos malucos e determina, seguindo mais ou menos a sabedoria das multidões, qual é o conteúdo mais relevante para cada termo pesquisado. Se muitas pessoas dizem que “vergonha nacional” representa os senadores brasileiros, então o Google vai apontá-los ao procurarmos por estas palavras.

[Google Bombing: malditos senadores!]

Outros já foram vítimas do Google bombing. Um dos mais famosos é o atual presidente dos EUA, George W. Bush. Tempos atrás, quando pesquisávamos por “miserable failure” (falha miserável) o Google apontava como primeiro resultado sua biografia pessoal. De lá pra cá a gigante de Montain View tomou medidas para evitar a ocorrência de Google bombing pois muitos acreditavam que os resultados refletiam o pensamento da empresa sobre determinados assuntos, o que não é necessariamente verdade. De uma forma ou de outra, os senadores pediram e a bomba foi armada.

Comentários do Facebook
14 comentários
  1. Se a internet é o meio que nós utilizamos para nos expressar, é bom que a utilizemos para propagar nossas idéias políticas e principalmente nos manifestar sobre o que acontece neste país. Gostei da Googlebomb. Veio em uma hora conveniente.

  2. Fugita, a idéia do bombardeio surgiu antes pelo Stulzer na quarta à noite. De manhã eu lancei a idéia no meu blog, sem nem conhecer o Stulzer (depois corrigi dando link para ele), e mandei e-mail para um monte de gente.
    Nisso uns 30 blogs fizeram o mesmo e ao redor das 18h de quinta a bomba foi detectada pela primeira vez. Desde então foram só gargalhadas :D

  3. Mas dessa vez o google acertou em cheio no alvo, o senado é uma vergonha nacional.

    E a tendência é piorar, dado que uma parte significativa da blogosfera falou desse assunto ou tem falado dele nas últimas semanas, o que vai influenciar bastante os robots dos sites de busca, inclusive o google, quando forem procurar por assuntos referentes ao senado nacional ou até mesmo a política.

  4. Por essa o Estadão não esperava… será que eles vão continuar chamando os blogueiros de “gentalha” igual Kiko e Cia?

    Tenho vergonha desse país.. e os aliados do Renan ainda chamam aquela vergonha de “Vitória de Democracia”… só que a democracia não é sinônimo de corporativismo de ladrões, nunca foi.

  5. E não é que deu certo mesmo??
    Tomara que o Google não acabe com a nossa festa!

  6. O Google é um Oráculo… hehehe
    Tem sempre as melhores respostas (com a nossa forcinha!)

  7. Acho que o “ato” foi uma ínfima migalha, perto daquilo que os senadores mereciam.

    Mas já serve como uma forma de protesto. É o mínimo que podemos fazer.

  8. Thássius,

    Sim, esse Google Bomb veio na hora certa e foi “armado” rapidamente, questão de horas.

    Bender,

    Essa coordenação sem um conhecer o outro só mostra o que o que esse Google bomb expressã: o sentimento de todos nós frente a essa palhaçada dos senadores.

    dragus e William,

    Pelo que li sobre a última desativação de google bombs através de mudança nos algoritmos do Google, esse vai ficar bastante tempo. Uma das coisas que me faz achar isso é que a palavra nacional é encontrada no site do senado o que reforça o google bombing.

    AglioEoLio,

    Bom, agora o congresso vai conhecer a sabedoria da multidão…

    Carlos,

    Pois é… o sistema deles é muito bom para detectar o que as pessoas querem e sentem. Incrível.

    issamu,

    Por mim eu não votaria em nenhum dos atuais senadores, nunca mais. O problema é que meu ato isolado não é suficiente para acabar com a falta de vergonha dos nossos supostos representantes.

    Abraços a todos!

  9. Olá, Fugita!

    Eu leio seu blog pelo bloglines, por isso acabo não tendo muita coragem de comentar.

    gostei desse google bombing, até no meu bloguinho de futebol (!!!) eu coloquei um link “vergonha nacional”, pegando o gancho de um comentário do Juca Kfouri.

    Uma coisa que eu acho que seria bacana também é fazer um google bombing inverso, fazer com que as buscas por “Senado Federal” dessem como primeiro resultado uma página intitulada “vergonha nacional”, até porque “Senado Federal” é uma busca mais espontânea que “vergonha nacional” para quem quer mais informações sobre o caso. Seria divertido, não acha?

  10. Olá Juliana!

    Sempre que tiver vontade de comentar, não hesite, hehe! É bom pq acrescenta bastante à discussão.

    A sua idéia de que a busca por Senado Federal caísse em um texto/ site sobre vergonha nacional seria muito mais legal. O problema é que faltaria coordenação para se decidir por qual página “vegonha nacional” mereceria os links…

    Abraços!

  11. Woow! curti demais esse google bombing! racharam o senado ao meio! mas, a parte sem graça é que não adianta nada, mas é bastante legal o protesto e tal, e o que muda?
    abraços

  12. Marco,

    É uma forma de protesto. Realmente os senadores estão se lixando para isso. Problema deles, não voto em mais nenhum.

  13. 13. Gabriel Izaias disse em 2 out 2007 - 10:46

    Experimente digitar “o maior mentiroso do brasil” no Google.
    O primeiro resultado será (pelo menos quando eu procurei era) “Luís Inácio Lula da Silva” na wikipédia

  14. Gabriel,

    Estava tentano lembrar exatamente desse Google bombing! Hehehehehe!

    Até!

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email