Deixando a sabedoria das multidões fluir

por Alexandre Fugita

[rec6] Acredito que a maioria dos leitores do Techbits estão familiarizados com mecanismos de social news tipo Rec6 e Digg. Neles podemos publicar links para notícias que achamos relevantes e também votar nas que parecerem interessantes. As melhores, segundo a sabedoria das multidões, acabam na capa dos serviços e costumam trazer visitantes.

Recentemente surgiu uma discussão no BrPoint sobre se há algum problema em publicar no Rec6 seus próprios posts. Li quase todos os comentários e praticamente é unanimidade que não há mal algum já que o pós-filtro dos votos trata de eliminar tudo que for ruído.

Apesar de eu já ter beneficiado o Techbits com posts lá – sim, fiz muita auto-divulgação no ano passado – cheguei à conclusão que é melhor não promover os próprios artigos em sites de social news como o Rec6. Explico: para a sabedoria das multidões funcionar plenamente é necessário que todos ajam independentemente, sem tentar “jogar” com o mecanismo, apenas por vontade própria.

Ou seja, ao colocarmos nosso próprio artigo no Rec6 estamos, em parte, jogando com o sistema e prejudicando a verdadeira sabedoria das multidões.

Leia mais:

Comentários do Facebook
27 comentários
  1. Opa Fugita!

    Tenho que discordar da sua conclusão! Se a sabedoria das multidões vai filtrar o ruido, qual o problema de você lancár um artigo que julgue ótimo, mesmo que seja seu?

    Você só estará jogando contra o mecanismo se você enviar todos os seus artigos (supondo que nem todos são ótimo!)…

    Se você lança aqueles que julgue ótimos, mesmo que sejam os seus, nenhum problema! A “sabedoria das multidoões” fará o resto :-)

    abraços

  2. 2. Felipe disse em 22 ago 2007 - 14:41

    É muito fácil falar isso quando você tem alguns milhares de visitantes… Imagino que auto-promoção moderada é algo totalmente válido, diferente de fazer spam no site com todos os seus posts.

  3. Não sei também o que realmente é melhor. Publicar ou não publicar? Ainda estou procurando entender um pouco melhor todo o sistema…

    Mas de qualquer forma, acho que se for usado com bom senso, acredito que não tenha nenhum problema em publicar um artigo próprio.

    Agora se for para publicar todos os artigos e posts que fazemos, apenas com o intuito de auto-promoção, o próprio sentido de rede social irá se perder aos poucos…

    De qualquer modo acredito que o próprio sistema de votação irá selecionar aqueles artigos que de fato são relevantes.

    Obrigado pela citação.

  4. Olá Alexandre

    Sua opinião é válida, faz todo o sentido, mas vejo de forma diferente. Pessoalmente acho que todos os usuários fazem parte da sabedoria das multidões, inclusives os criadores dos posts. Dessa forma, sua opinião é tao importante quanto a dos demais e não vejo problema nenhum em votar em sua própria notícia no Rec6, como forma de expressar sua opinião. Se demais usuários também votarão, é outra história, um usuário sozinho não influencia na sabedoria das multidões.

    Um grande abraço
    Renato

  5. Discordo em gênero, número, grau e acho uma frescura sem tamanho esse papo de “será que não vai pegar mal?” que ando vendo por aí. O sistema pode sim (essa é sim uma das suas funções) servir aos associados de vitrine. Outra conversa mole é de que lá fora não é assim. É sim. Há até plugins para publicação automática. Temos que parar com essa frescuragem – isso só é indiferente pra quem já não precisa mais disso pra se promover, mas nem a estes prejudica. Quem não gostar não vota e ponto final – a notícia morre no limbo. As próprias redes sociais daqui do Brasil deveriam sair de cima do muro e dizer claramente que isso as beneficia também, visto que a enorme maioria dos seus usuários o é em função dos benefícios de auto-promoção que elas lhes trazem.

  6. Opa. Fico feliz por ser incluído nesse debate através do Quero Ter Um Blog.

    Ainda cadastro meus artigos (um pouco porque sou um tanto ciumento quanto aos títulos), mas tenho procurado cadastrar artigos de outras pessoas também. E é tão satisfatório ver um artigo de outra pessoa – que você cadastrou – quanto ver um artigo próprio. :-)

    Eu evito mandar todos os artigos que escrevo. Deixo esse privilégio apenas para aqueles que considero ter algo de inédito ou de original. Se for apenas uma indicação de algo que vi por aí na internet, por exemplo, deixo pra lá.

    Tenho dito.

    Abraços e agradecimentos do Alessandro.

  7. Caramba !!!!!
    Não consigo imaginar que algo que escrevi não possa ser aplaudido ou vaiado, pelo contrário, me sinto muito à vontado para me expor e a partir daí completar, aprender, repensar alguma idéia ou conceito.
    Se não coloco artigos meus é porque tenho pouco tempo para deesenvolvê-los, porem, me atrevo a escrever sobre tudo o que me chama a atenção, mesmo sobre assuntos em que não tenha ainda um posição formada.
    Acredito que o exercício é importante para o aperfeiçoamento e as críticas me ajudaram a tentar embasar melhor meus conceitos e valores.
    Se estou na chuva é para me molhar…
    Se ajudo a alguem a repensar algo, me dou por satisfeito, mesmo que seja uma conclusão contrária a minha, afinal, averdade como tudo na vida é relativa, pois, espelham seu passado e presente.
    Portanto, não se reprima !
    Todos dispomos de algo que só é comparável a possibilidade de pensar, que é apenas registrar o que pensamos.

  8. Fugita,

    Como já conversamos uma vez atrás, eu discordo da sua opinião pelo mesmo motivo que o Sérgio apresentou. Já coloquei vários artigos lá no Rec6 que não sairam de 1 voto. Quem julgou (multidão) viu que Não valia e não emplacou.

    ps: deu na folha hoje né ?

  9. […] Deixando a sabedoria das multidões fluir – no Techbits […]

  10. […] interessante foi um comentário no Techbits do Sérgio Lima: […] Se a sabedoria das multidões vai filtrar o ruido, qual o problema de […]

  11. Hehe

    legal a maioria dos posts falando sobre o mesmo assunto com pingback!

  12. Fugita, estou me divertindo muito com os comentários. O que eu posso dizer? As pessoas estão se levando a sério demais. Deviam desligar o computador qualquer hora dessas e conversar sobre outras coisas. :)

  13. Fugita, fui o primeiro a comentar no post do Bruno, e tenho que dizer que não consegui me expressar muito bem.

    Com toda a certeza, você acaba de fazê-lo por mim com perfeição!

    obrigado :)

    Um abraço!

  14. Acho que não há nada de mais na auto promoção, mas eu não faria.
    Abração

  15. Marmota,

    Não há nada de errado em levar a sério aquilo que você considera sério. Já ouvi muito falar que “a blogosfera precisa urgentemente de vida sexual”, etc.

    Minha vida sexual vai bem, obrigado, e continuo levando esses assuntos a sério.

    Fugita,

    Quanto ao artigo, também discordo de sua opinião. Afinal, qual o grande problema de subir algum artigo meu se acho que ele pode ser útil para os outros? A minha opinião não faz parte da sabedoria das multidões?

    Abraço!

  16. acabei ficando com 1 duvida… comecei a ler este post e corri para o rec6/ via6, fiquei encantada com a possibilidade de disponibilizar virtualmente uma planilha de links favoritos que volta e meia me pedem (5000links de moda e design classificados por subcategorias) que abandonei depois de descobrir o blinklist, enfim, enquanto está fazendo o upload no scriib, que também não conhecia o serviço, voltei aqui para terminar de ler/entender o seu post, pensei em utilisar o link como divulgação, já entendi que está errado, mas disponibilizando a planilha que não posso colocar no meu blog oficial, de uma certa forma não é uma divulgação também??

  17. Uma dúvida rápida sobre o Rec6, Alexandre: é possível gerar um código html do serviço que sirva para todos os posts ou é preciso fazer isso manualmente, sempre gerando o html específico pra cada nova postagem?

    Pergunto porque não encontrei a primeira opção.

    Abraço

  18. […] posso ainda fazer para meu pessoal.(2) Por enquanto. Embora saiba que a farei um dia e na boa. A sabedoria das multidões,(3) por Deus, não é imaginar que podemos equiparar culturas em comportamento. O […]

  19. Penso assim também. Nem tudo o que eu penso que seja bom, o será para os outros.

    Se for realmente bom, a sabedoria das multidões saberá o que fazer.

  20. […] das próprias notícias no Rec6. Para explicar meu ponto de vista, resolvi adotar o post do Fugita, que soube usar melhor as palavras do que […]

  21. Fugita, peço licença para usar seu blog para responder ao Gabriel.

    Cara, eu já ouvi esse papo de “vai cuidar da vida sexual”. Pena que não possa dizer o mesmo que vc! :)

    Brincadeiras à parte, acredito que você tenha entendido onde eu quero chegar. Acho válido as pessoas ocuparem seu tempo com aquilo que acreditam, e todo debate sobre qualquer assunto é bem vindo. Posso estar enganado, mas nesse caso específico, tudo que vejo é uma ferramenta de recomendação, com possibilidade da comunidade votar e praticamente regular sua utilização. Dessas onde há espaço tanto para “autopromoção” quanto uma indicação dos interesses dos membros. Num ambiente plural como esse, discutir se uma postura é boa ou má pode até levantar questões éticas ou comportamentais, mas não vai afetar o preço do dólar. Por isso eu acredito realmente que, em casos assim, levar as coisas a sério demais não passa de energia dissipada. :)

    Abraços a todos!

  22. Oi André,

    Eu entendi seu ponto sim. Tem assuntos como por exemplo a polêmica do Estadão que dão o pé no saco depois de um tempo.
    Gente achando que é o fim do mundo, que tudo agora será diferente e que a Bovespa vai cair e o risco Brasil aumentar.

    Mas acho que estamos usando o termo errado. A questão não é levar a sério demais, e sim supervalorizar um tema.

    Levar a sério não é problema nenhum. O problema é achar que aquilo vai mudar o mundo e tratar como se fosse algo que o mundo inteiro esteja de olho.

    Acho que concordamos na visão, só usamos maneiras diferentes de expressar isso :-)

    Abraço

  23. Pessoal,

    Mesmo que de forma bem fraca em parte estamos sim influenciando a “sabedoria das multidões” ao enviar nosso próprio artigo para lá. Estamos jogando a nosso favor, mesmo que o artigo seja ótimo e mereça mesmo estar lá. Mas também confio no julgamento da multidão para que um artigo suba ou não para a capa.

    Apesar do meu texto desfavorável a postar textos próprios em redes como o Rec6, considero sim isso uma forma válida de divulgação. Tanto é que já utilizei bastante esse método para o Techbits.

    Talvez tenha resolvido não postar mais depois de observar que sob minha influência acabei virando destaque no Rec6. Não achei certo essa premiação sabendo que a maioria dos artigos tinham sido submetidos por mim mesmo.

    Agora como disse o Marmota, vamos desencanar desse assunto, hehehe!

    Pablo,

    Pelo que entendi vc quer saber se o código do botão do Rec6 em cada post é gerado automaticamente ou não? No Rec6 tem as instruções para cada plataforma de CMS de como incluir isso no código do seu template para ser algo automático.

    Patricia,

    Se vc colocar no Rec6 como divulgação da sua planilha, ela será submetida a uma votação que determinará se é relevante. Nem sempre as pessoas votarão.

    Rafael,

    Sim, saí na Folha junto com outros bloggers por aí, hehehe! Sabia que poderia sair, mas não tinha certeza de que sairia. Sem querer vi o jornal de um amigo e lá estava meu nome e URL!

    Abraços a todos!

  24. Valeu, Alexandre.

    Eu lembro de ter fuçado lá, mas não sei se o que encontrei gera o código automático. Vou testar.

    Valeu de novo!

  25. […] WebDez fez a cópia do texto Deixando a sabedoria popular do Fugita que terminou mudando a imagem utilizada no […]

  26. […] Baiano no seu blog (”Conteúdo Vs Quem cadastrou”) e o Alexandre Fugita lá no Techbits (”Deixando a sabedoria das multidões fluir”). Isso pra citar apenas 3 dos blogs que eu acompanho e admiro – há mais sobre esse assunto na […]

  27. […] This post was mentioned on Twitter by Mario Matos. Mario Matos said: aprendendo a usar as ferramentas do rec6 http://rec6.com/U9d […]

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email