BarCamp: startups

por Alexandre Fugita

[BarCamp SP] Uma das discussões do primeiro dia do BarCamp foi sobre startups. A platéia era formada basicamente por empreendedores, alguns conhecidos e outros não. Idéias interessantes, uns que receberam capital de risco, outros que não poderiam revelar ainda um visão geral do negócio, etc… Foi interessante. Mas aquela sala estava um calor!

Wasabi

[Wasabi] O Danilo Medeiros do Wasabi explicou a essência do serviço que é um agregador de feeds compartilhados na forma de rede social. Contou que quando começou o Wasabi estava na Austrália e trabalhou junto ao Bruno Torres, este no Brasil. Segundo o Danilo o Wasabi não será sustentado por propaganda e se houver possibilidade de venda para alguma gigante da web, não hesitará.

Rec6

[Rec6] O Renato Shirakashi apresentou a equipe do Rec6 presente ao BarCamp: Sidney Zanetti e Allan Panossian. Pra quem não sabe o Rec6 é um agregador de notícias colaborativas e recebeu recentemente aporte de capital de risco da Confrapar. Por este motivo a discussão girou em torno do break even de uma startup. Segundo o Renato atingir o ponto de equilíbrio não é fácil. A medida que o serviço cresce, novos custos vão surgindo como a contratação de colaboradores, etc… Junto com o Marco Gomes explicou o processo de obtenção de VC que não é nada fácil.

boo-box

[boo-box] O Marco Gomes veio de Brasília para o BarCamp. Todos questionavam qual o modelo de negócios de sua startup. A visão do boo-box é que o consumidor “2.0” está mudando e para atingí-lo nada melhor do que oferecer produtos dentro de um contexto. E é isso que o boo-box faz. Ele não detalhou seu plano de negócios mas informou que há sim formas de monetização. Explicou que o serviço dele é centralizado no servidor e que isso é importante pois atualizações no script do boo-box ficam sempre disponíveis para todos.

Spesa

[spesa] O Nando Vieira teve a idéia para sua startup a partir de uma necessidade de organizar melhor as contas de sua casa. O Spesa é um gerenciador financeiro pessoal on-line. A aceitação do serviço foi tão grande que na primeira semana no ar mais de 50 e-mails com sugestões chegaram à sua caixa postal. Hoje conta com mais de 1500 usuários inscritos, pouco mais de 2 meses do lançamento do serviço. Surpreendeu-se inclusive com a matéria da IDGNow! que citava o Spesa como parte da esfera brasileira de empresas web 2.0.

Outras startups

Vários outros empreendedores presentes tinham suas startups. Mas muitos deles não puderam revelar ainda a essência do serviço pois está em desenvolvimento. Foi interessante notar que todos essas pessoas apostando no mercado web do Brasil são jovens entre seus 20 e 30 anos. É nessa geração que devemos apostar para o surgimento de boas idéias, grandes implementações e novos serviços. Afinal, o Vale do Silício é aqui!

Comentários do Facebook
7 comentários
  1. […] o Alexandre Fujita do techbits fez um ótimo resumo da a discussão sobre Startups do primeiro dia. Como pode-se ver pelo resumo, houve uma […]

  2. […] : O Alexandre Fujita fala sobre as StartUps presentes no […]

  3. Tb comentei no http://georgeguimaraes.blogspot.com/2007/03/samos-do-techbits.html

  4. […] ao vivo, laptops, computadores de mão e celulares registrando […]

  5. Fala George!

    Hehe! Eu vi! Realmente vc saiu no Techbits como “Os Outros”! Vc está no Lost? hehehe!

    Abraços!

  6. […] com o responsável pela revista, fiquei sabendo que o foco é dar voz às jovens mentes que estão movimentando o mercado de web no Brasil, roubando um pouco os holofotes que estão sobre os corporativistas da […]

  7. […] : O Alexandre Fujita fala sobre as StartUps presentes no […]

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email