O case GameSpot e os blogs

por Alexandre Fugita

GameSpot Eu sei, faz uma semana que não escrevo nada aqui no Techbits. Para compensar essa ausência, lá vai um post polêmico. Um assunto que tem me chamado a atenção no último mês é o caso GameSpot. Para quem não sabe, um editor do blog mantido pela CNet foi demitido após publicar um review desfavorável a um jogo, exatamente o mesmo que patrocinava a maioria dos espaços publicitários do blog. A blogosfera americana caiu em cima, criticando pesadamente a CNet e o GameSpot de se influenciar por um patrocinador.

Caso semelhante ocorreu recentemente com a PC World, que teve o texto de um de seus colaboradores bloqueado para publicação pois criticava a Apple, um dos anunciantes da revista. Novamente naquela época a internet veio abaixo contra a atitude não ética da revista.

Bom, um dos assuntos discutidos à exaustão na blogosfera brasileira é se o review pago deve ou não ser feito. A minha postura é que o Techbits jamais vai fazer algo do tipo. Na verdade já recebi várias propostas de review pago e todas elas foram negadas, educadamente. O grande motivo para isso se chama credibilidade.

Ok, eu sei que a maioria dos blogs é lido em sua maior parte por blogueiros e estes sabem por antemão que aquele texto, mesmo que seja um review patrocinado, não terá qualquer viés influenciado pelo dinheiro. Mas e os outros leitores, aqueles que não são blogueiros, o que será que acham disso? Bom, o senso comum leva a crer que um texto pago em qualquer publicação é algo ruim. Mas nos blogs não?

Aí vão aparecer alguns dizendo que o Techbits não gosta de dinheiro, que sou comunista, essas coisas… Não, definitivamente não. Quem me conhece sabe que sou a favor do liberalismo econômico, político e tudo neste sentido. Que o governo fique longe da iniciativa privada, bem longe. Além disso, não querendo ser arrogante, mas apenas fazendo uma constatação óbvia, o Techbits fatura muito mais do que a maioria dos blogs que defendem o post pago, simples assim. Aqui ganha-se dinheiro com credibilidade e não com os dé reau (sic) de um post patrocinado.

Com certeza acabo de perder uma boa parcela de leitores, todos aqueles atingidos por este post. Ok, não culpo vocês, tento acreditar que a maioria que faz posts patrocinados realmente não se deixa influenciar pelo dinheiro, mas certamente uma parte cairá na tentação, aí que mora o perigo, e isso é ruim para todo o mercado.

É um problema complicado. Por via das dúvidas aqui não entra post patrocinado. E se a blogosfera quer ganhar credibilidade, que não faça reviews pagos. Ganhe credibilidade para receber produtos para review e poder escolher aqueles que você quer publicar. Não existe essa história de que não será influenciada pelo dinheiro do anunciante. E se você acha que o case GameSpot nada tem a ver com isso, no fundo é tudo a mesma coisa. Bom, coloquei a cara à tapa, que venham os comentários…

Comentários do Facebook
27 comentários
  1. Eu só que elogiar a iniciativa de expor esta questão e defender este ponto de vista. Credibilidade não tem preço. Por essas e outras que o Techbits é referência em conteúdo sobre tecnologia.

  2. Você foi extremamente feliz ao dizer que alguns sabem que fulano recebeu para escrever sobre algo mas a maioria não sabe. E justamente essa maioria, ao ler um post patrocinado vai achar que o escritor se vendeu. E no fim das contas o blog vira um enorme depósito de propagandas, cheio de posts patrocinados. Um perigo.

  3. Concordo inteiramente com você.

    Eu não leio blogs que publicam reviews pagos. Não porque eu ache que o autor se vendeu, mas porque ele não tem personalidade e se deixa pautar por empresas.

  4. Eu ainda não tenho uma opnião formada sobre este assunto, mas achei bem relevante sua opnião.

    Abraços

  5. Credibilidade é a alma do negócio. hehe

    Abraço.

  6. Creio que essa modalidade de publicidade (post patrocinado) tem ganhado grande interesse por anunciantes justamente por isso, a publicidade se disfarça de conteúdo (mesmo quando é feita explicitamente por meio de selos), porque eles não usam o bom e velho banner ou outras formas? Como eu disse, porque o post patrocinado é muito mais influenciante porque é a “suposta” opnião do blogueiro.

    Suposta porque opnião porque eu nunca vi e acho que nunca vou ver um post patrocinado dizendo os verdadeiros defeitos (mesmo se utilizando de eufemismos) do produto que está sendo analisado.

  7. 7. maira disse em 14 dez 2007 - 20:53

    Em primeiro lugar, acho que cada um faz o que quer com o próprio blog, não precisa nem justificar.
    Mas, se post patrocinado é problema, por que o Adsense não é?
    Num post patrocinado, o dono do blog pode escolher quem vai aparecer no blog; com Adsense, às vezes aparecem uns anúncios esquisitos, e duvido que algum blogueiro fique o tempo inteiro vigiando para ver se o anunciante é bom ou não.

  8. Ótimo. Ultimamente tem aparecido post sobre um ipod dentro de sorvete que tem o maior jeito de ser “patrocinado”. Em alguns blogs não dá pra saber o que é jabá.

    P.S. um dia gostaria de ler num desses posts patrocinados: “esse produto é um lixo. não seja otário de comprar.” :)

  9. Salve Fugita! Como somos amigos vou me permitir a primeira pedrada – rs.

    Sabe como vejo a defesa do seu ponto de vista? Como o cara que é legal (tem credidilidade) – o que você é e tem mesmo – que conhece tudo sobre política, tem o DNA da política no sangue, convive na família com políticos de boa verve, mas se nega a entrar pra política porque “em política tem muita corrupção”.

    A “política” precisa de pessoas de credibilidade que digam (e ajam) de forma a conferir-lhe credibilidade. E nunca haverá apenas “políticos honestos” ou apenas “políticos corruptos”, mas a primazia será sempre daqueles que se dispuzerem a enfrentar os riscos e criar o cenário que lhe pareça ideal. Sem maniqueísmos.

    Recentemente falei mais sobre meu ponto de vista pro Nossa Opinião nesse post: http://www.boombust.blog.br/?p=379

    Grande abraço!

  10. Recentemente vi um blogueiro que acompanho postar um “post patrocinado” que era pura e simples cópia do que o site institucional da empresa em questão disponibilizava. Naturalmente que ele perdeu boa parte do meu respeito.

    Desde então estou balançado com relação à posts patrocinados. Já fiz um, uma única vez, e tenho certeza de que minha opinião sincera está lá. Mas nem todos os blogueiros terão essa atitude (já não têm!), e de certo ponto sua visão é certa devido a isso.

  11. Quando (sim, vai acontecer) os blogueiros começarem a resenhar qualquer coisa por dinheiro, quando começarem a mentir para agradar ao anunciante, aí também serei contra o review patrocinado. Até lá, gosto do modelo, contanto que seja avisado ao leitor.

    E quem disse que todo texto pago é ruim? Alguns são bem úteis. Já achei informação relevante em informe publicitário de revista.

  12. Sobre o que a Lu Monte falou, de ter achado informação relevante em informe publicitário de revista, destaco a Superinteressante, da qual sou assinante.

    Um núcleo especializado da Abril prepara informe para a Super que são demais. São anúncios, e a gente sabe disso, mas nem por isso deixam de trazer conteúdo. Na última edição veio um da Eletropaulo que eu achei brilhante.

  13. Eu não tinha nada contra resenhas patrocinadas que avisavam no início do texto, que aquele texto era pago… pulava o texto e tudo muito bem!

    Entretanto li que vários blogueiros que fazem resenhas patrocinadas, disseram explicitamente que se o produto for ruim ou não gostarem ele irão sugerir ao “patrocinador” para não fazer a resenha paga (sic).

    Daí concluo que, no fundo, eles só vão escrever textos que tenham um saldo positivo!

    Por via das dúvidas pulo resenhas patrocinadas! Exceto se eu estiver procurando especificamente por algo!

    Na prática, ao menos na minha experiência, as melhores resenhas são *não pagas* em blogues de nicho (especializados no assunto).

    E como estou ficando velho e chato, nem leio textos, em português, cujo título começa com “review” o termo por si só já me irrita :-)

    Depois o pessoal reclama que só blogueiro lê blogues… parafraseando o Luis de la Orden Moraes:

    E depois tem gente que se surpreende que pelos dados da pesquisa do NIC, 80% da população brasileira nas grandes capitais não lêem blogues. Afinal de contas, como? Se hoje tudo é um login, um blog, um cookie e um powered by, um review, um post etc. Com este jargão de surfista carioca, quem é que nós esperamos atrair para gastar de blogues?

    []’s

  14. post patrocinado e blog monetizado são coisas bem diferentes. segue com tua postura, é o que faz a blogosfera! abraço!

  15. post patrocinado e blog monetizado são coisas bem diferentes. segue com tua postura, é o que faz a blogosfera! abraço!

    -assino embaixo o que o tiagon disse

  16. “P.S. um dia gostaria de ler num desses posts patrocinados: “esse produto é um lixo. não seja otário de comprar.” :)”

    Isso não vai acontecer. Se o autor não gosta do produto/promoção/serviço em questão, ele simplesmente não fará um artigo sobre, seja pago ou não.

    Segundo ponto, o artigo será influenciado pelo pagamento envolvido? Óbvio que sim. Não sou hipócrita a ponto de afirmar o contrário. A premissa de construção do artigo patrocinado já é toda diferente a partir de sua origem.

    Por isso a importância de ser claramente identificado.

    Sou a favor de artigos patrocinados(que na maioria das vezes não são reviews, por sinal) feitos com transparência e qualidade.

    O problema é que muitas *empresas* pedem que o artigo pago não seja identificado como tal. E blogs, grandes blogs, cedem.

    Money talks, baby… money talks…

  17. techcrunch não faz uma infinidade de “avaliações” sobre novas tecnologias?? patrocinado ou não os posts me parecem tão sinceros, mesmo às vezes nos comments o “povo ” atacando… eu que não entendo nada de tecnologia, é um link que funciona como uma porta para conhecer o que vem por ai… como o seu blog é para mim, acho que eu não me importaria se o post foi por que vc teve um convite, o que vale é o tratamento que vc dará ao post não??

  18. Tenho a hipótese de que os blogs estão seguindo o caminho que o jornalismo já trilhou há muito tempo: primeiro crônicas do cotidiano, depois opiniões ferozes, depois publicidade, depois matérias pagas, depois se corrompeu totalmente até provocar a guerra hispano-estadunidense, depois se comportou e viu que é preciso credibilidade.
    É ou não é?

  19. Fugita, acho que post patrocinado é meio que enfiar goela abaixo algo que deveria acontecer naturalmente: as marcas implorando para aparecer num blog. Não é assim quando alguém sai no TechCrunch ou no Gizmodo, uma festa? Não condeno o método, mas acho uma forçada de barra. Reviews deveriam ser feitos sem isso, até porque daí vem a tal credibilidade que tu menciona e bem mais importante: relevância.

  20. Fala, Fugita!
    Belo texto, e concordo com muitos pontos.
    Entretanto, creio que pode existir espaço para reviews patrocinados, desde que eles sejam identificados como tal. A campanha pela transparência nos blogs é um indicativo de que já está mais do que na hora da blogosfera ter condutas éticas comuns a todos os blogs.

    Acho o seu post um belo “esquenta” para discussões fervorosas nos próximos camps.

    Grande abraço,

  21. “Acho o seu post um belo “esquenta” para discussões fervorosas nos próximos camps.”

    Concordo com o Yassuda, a temporada 2008 de blogcamps vai ser foda!

  22. […] grande – Contraditorium Simplicidade é a arma da Google contra a Microsoft – Tiago Dória Weblog O case GameSpot e os blogs – techbits Tutorial: O que é o JAVA Runtime, por que você precisa dele e como instala-lo. – […]

  23. sou a favor de posts pagos. mas não esquenta, acho q ninguem vai deixar de ler seu blog por isso.

    a discussão sobre posts pagos não aborda o problema real. a questão não é se o post é pago ou nao, mas sim se o blogueiro é honesto.

    tem posts pagos honestos, assim como tem posts “gratuitos” que são mentirosos. seja porque o blogueiro é amigo do dono do produto ou serviço, seja porque ele tá querendo fazer uma média, ou seja pq seus leitores ficariam mais felizes se ele tambem gostasse de tal coisa.

    vou ser breve, fechando este comentário deixando bem claro minha forma de pensar em relação a esse tipo de polemica: vc não precisa saber se o post é pago ou não, vc precisa saber quem é o blogueiro.

  24. 24. Yan disse em 20 dez 2007 - 00:27

    Eu não entendi por que você teria cautela ou preocupação para utilizar a credibilidade que você conquistou.
    É justamente porque você tem credibilidade que as pessoas te procuram para anunciar (quem anunciaria em um lugar que acha não ter credibilidade?).
    Você não batalhou por ela? E para quê, afinal? Eu acho que você tem o direito de usá-la.
    Você não conquistou a credibilidade? Eu acho que sim, merecidamente. Isso significa que as pessoas acreditam em você e querem (você não está impondo) saber o que você pensa.
    Abraço,
    Yan

  25. […] Eu não virei a casaca não. Ainda defendo que posts patrocinados não afetam necessariamente a credibilidade do blogueiro. Só ainda não vi, pra ser absolutamente sincero, nenhum review competente em relação ao que se […]

  26. […] O case GameSpot e os blogs Para quem não sabe, um editor do blog mantido pela CNet foi demitido após publicar um review desfavorável a um jogo, exatamente o mesmo que patrocinava a maioria dos espaços publicitários do blog. When will Amy Winehouse die? Ganhar um IPod acertando na data da morte de Amy Winehouse […]

  27. … se eu não fosse tão quebrado eu tbm não aceitaria posts patrocinados! =X

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email