Microsoft Zune: de novo, o DRM…

por Alexandre Fugita

[Zune vs Creative Commons] Lançado na semana passada, o tocador portátil de músicas e vídeos da Microsoft foi bem recepcionado pela multidão. Passado o encanto inicial, começaram os problemas. O Zune foi considerado inovador pois consegue enviar via wi-fi músicas para outros Zunes. Mas também inova em outra categoria: põe DRM até nas músicas e vídeos criados pelo próprio usuário.

O que está acontecendo…

Quando era apenas um rumor, a idéia de compartilhar músicas via wi-fi era ótima. Quando foi mostrado na última quinta-feira, pareceu muito legal. Após passar pela análise da multidão, tornou-se a pior característica do Zune. Se você compra uma música na loja da Microsoft, eles têm todo o direito de proteger o arquivo digital com DRM. Mas e se você mesmo compôs e gravou a música? E se você mesmo gravou aquele vídeo no fim de semana na reunião com amigos? Tudo isso ganha DRM quando transferido pelo wi-fi do Zune.

Microsoft DRM vs. Creative Commons

No MySpace muitas bandas desconhecidas divulgam música usando a licença Creative Commons. Se a banda usar a mesma licença que este blog usa para seu conteúdo, a música pode ser compartilhada e alterada, desde que o autor seja citado, o trabalho resultante use o mesmo tipo de licença e que o uso não seja comercial. Pois bem: o blog dos criadores do Zune informa que não há como saber que tipo de arquivo está sendo transferido e, portanto, tudo fica dentro do envelope do DRM da Microsoft. Mesmo uma música sob licença Creative Commons fica restrita ao prazo de três dias ou tocar três vezes (o que vier primeiro) do DRM da Microsoft.
Fizeram quase tudo certo. Menos isso. Quem disse que o Zune é um iPod killer? Está mais pra Zune killer mesmo…

Um blog sobre DRM…

[3 de outubro: o dia contra o DRM] De tanto escrever sobre o assunto, quase dá pra ter um blog só sobre DRM. Todo dia ia ter o que escrever. A nuvem de tags (coluna à direita nesta página) dá uma idéia da freqüência em que os assuntos são discutidos. O DRM, pelo menos no momento da publicação deste post, está entre os favoritos. A “luta” não é só minha. Uma infinidade de blogs mostra que o desejo das multidões é uma mudança nessa tecnologia e que o fair use deveria ser considerado pela indústria de filmes e músicas. Existe até um protesto, no estilo flash mob, contra o DRM marcado para o dia 3 de outubro de 2006.

Na blogosfera:

  • Meio-Bit: Microsoft vs O Mundo: Zune viola Creative Commons
  • Media Loper: Zune’s Big Innovation: Viral DRM
  • ElasPod: podcast sobre Creative Commons
Comentários do Facebook
4 comentários
  1. Vou tentar escrever Portuguese, faz tempo que estava em o Brasil. Entao, nao acho que zune tem problema com creative commons. E a responsibilidade do usario para nao mandar a data de creative commons.

  2. Olá Zune!
    O que acontece é que se o usuário tenta transferir um arquivo cuja licença de uso é o Creative Commons, o Zune “envelopa” a música/ vídeo com o seu próprio DRM, dando aquele prazo de 3 dias/ 3 vezes que o receptor pode ouvir. Esse é o problema.

  3. (…)
    O que acontece é que um conteúdo, mesmo que seja feito pelo próprio usuário, sob licença Creative Commons, o player embrulha tudo aquilo dentro de sua DRM. Foi um fator chave para que muitos desistissem de comprar já no lançamento do player. Maiores informações aqui e aqui.
    (…)

  4. Destrua o PlayStation 3…

    Tem maluco pra tudo neste mundo. Eu não lembro exatamente quando mas certo indivíduo teve a “brilhante’ idéia de criar um site pedindo arrecadações para comprar um iPod e destruí-lo em público. Conseguiu rapidamente as doações nec…

Deixe um comentário

Faça apenas comentários relacionados a este post. Caso tenha dúvidas, sugestões, críticas, ou queira discutir qualquer outro assunto que não esteja relacionado a este post, entre em contato pelo formulário ou através do email [email protected]

Siga-nos no Twitter Nossa página no Facebook Assine o RSS Receba os posts pro email